Carregando...

Luminária de Piso - Meu primeiro achado no lixo

28/06/2013

Sempre vi na net alguns blogueiros que acham tesouros no lixo, reformam e ficam aquela beleza. 
Só que isso nunca aconteceu comigo. Sempre fico de olho pra ver se acho algo com potencial, mas nunca tive sorte não. Mas tudo mudou quando descobri, num galpão, essa mesinha abandonada num canto, com data marcada pra ir pro lixo. Acho que fiquei mais feliz do que se tivesse comprado uma nova. Afinal, que blogueiro é esse que nunca reformou nada do lixo? Catei logo ela e levei pra casa, mesmo sem saber ao certo o que fazer.


Aí vieram milhões de idéias: Pintar de amarelo, colocar um tampo de vidro, fazer montagem de imagens, mas nada que realmente me convencesse. Aí fui pro Facebook e pedi a opinião pros leitores. Mais uma tempestade de idéias. De "pinta com spray" a "manda pra cá" e até mesmo "faz nada, joga fora" rs. Mas teve uma idéia específica que me chamou atenção:"acho legal o uso não-óbvio das coisas, então, joga esse tampo empenado fora e usa a base como suporte pra uma luminária de chão. é só prender uma haste metálica, pra dar mais altura, colocar a cúpula, e pronto!". Tava decidido: a mesa ia virar luminária e olha só o resultado:
O primeiro passo foi retirar o tampo da mesa que tava bem detonado. Depois lixar bem o pé. Sim, essa parte é muito chata, ainda mais nesse caso que não deu pra usar lixadeira porque o pé da mesa possui muitos detalhes. Então foi na mão mesmo. Depois de tirar todo e qualquer vestígio de tinta e verniz, é hora de dar uma mão de tinta base pra garantir a aderência. Como tava sem tinta base em casa, usei uma spray branco fosco e funcionou muito bem. #ficaadica. Duas demãos são suficientes.
Enquanto a base secava, fiz um furo na parte de cima do pé da mesa usando uma furadeira com serra copo no diâmetro do cano que sustentará a luminária. Depois fiz um furo na lateral pra passagem do fio. Pra fazer a instalação elétrica comprei uma boquilha que se encaixasse  direito no cano e fiz as devidas ligações de forma que o fio ficasse escondido dentro do cano e saísse da base de madeira. Após fazer essa ligação, encaixei o cano no buraco da base de madeira e preenchi todo o resto do buraco com massa para garantir a fixação. 


Assim que a massa secou, lixei pra tirar o excesso e parti pra pintura final. Para os pés, usei tinta spray dourada e o restante pintei com tinta automotiva preta (a única que eu tinha em casa). Para o acabamento ficar legal, marque com uma fita adesiva os limites de cada cor.



Quando tudo secou, instalei a cúpula e a lâmpada. Como queria algo mais discreto, já que tem muita cor na minha copa, comprei um cúpula branca mesmo. Optei por uma lâmpada quente pra equilibrar com a lâmpada fria do cômodo onde ela vai ficar. 

Bom, esse projeto foi muito bom pra abrir mais a visão e enxergar mais possibilidades nos objetos do dia a dia. Se pensar um pouquinho, sempre pode surgir algo novo e criativo que vai dar ainda mais personalidade pra casa.


>> A cúpula eu comprei na Leroy (49,90)
>> Não entende nada de elétrica? Peça ajuda.
>> O cano é resto do que eu usei nas araras do meu closet. Dá pra encontrar em serralherias

No mais, muito obrigado ao Nixon pela sugestão e a vocês por me receberem tão bem todas as vezes que apareço por aqui.

Até mais!


>> O Eduardo é nosso colunista do Casa de Cueca e autor do blog Homens da Casa. E, toda vez que você comenta, ele fica todo-todo. :)

No canto da sala tinha uma poltrona....

24/06/2013

Para ler, para receber os amigos, para aproveitar aquele dia preguiçoso na frente da TV... uma poltrona no cantinho da sala pode ser tão, mas tão aconchegante e acolhedora, que chegamos a desenvolver uma relação de amor com a bichinha, é ou não é? Eu que o diga, depois de chorar litros ao chegar em casa e ver que a Frida, minha vira-latas que é mistura de raça nenhuma com monstrinho da Tasmânia, fez um rombo do tamanho de uma bola de basquete na minha! Passado o trauma (e uma manta por cima enquanto o estrago não é resolvido), minha poltrona continua aqui, firme e forte, me acolhendo e me acompanhando nas leituras e nas postagens dessa vida.

E se você ainda não tem a poltrona que você sempre sonhou para completar aquele cantinho, mais uma vez, a Modernidade Móveis está aqui para te mostrar que não precisa esperar uma eternidade para realizar esse desejo!

Amor é isso...♥ É trocar a roupinha da sua poltrona xodó, mesmo que seja com uma manta colorida sobre ela: 



No canto da sala tinha uma poltrona. Tinha uma poltrona no canto da sala. E também  no canto do quarto... dos grandinhos e dos pequeninões.

Mas me parece que é mesmo na sala que uma poltrona-desejo reina quase que soberana. Como não morrer de amores com uma Egg, uma Barcelona ou Butterfly? Se você é amante de design, aposto que esses nomezinhos não passam batido. :)




Imagens: CixDekorasyon, Kootation, AnneSage, BearsEatBerries, ModernidadeMóveis, Houzz.

Esse é um post patrocinado pela Modernidade Móveis, loja mais do que parceira aqui do blog. Aliás, parceira aqui do blog e parceira de vocês, viu? Porque nunca vi loja para dar mais oportunidade para você ganhar um mimo para a sua casa! Dia 27/06, é o último dia para você participar do concurso do Dia dos Namorados, que vai premiar um casal sortudo com não só um, mas dois presentes lindos! Quer saber mais? Veja aqui como participar!

O futuro é agora

20/06/2013



Na segunda-feira que passou, eu parecia não acreditar no que meus olhos viam. Era um misto de euforia, medo, surpresa e orgulho, acima de tudo, muito orgulho. Cansamos. Simplesmente cansamos, e fomos para as ruas. Era gente que estava ali por justiça, era gente que estava ali por igualdade, era gente que estava ali pela luta e era até gente que nem sabia por quê estava ali, mas sabia que precisava engrossar o coro daqueles que tinham algo a dizer. Nós demos as mãos e, pela primeira vez em muito anos, também demos as mãos para o nosso país, que há tempos vem sido tratado com descaso, desrespeito, descuido, despreparo (escolha sua palavra preferida - ou todas). 

Um grande passo foi dado e não podemos parar por aqui! A redução do valor das passagens foi conquistado por muitas cidades, mas esse é o primeiro de muitos outros problemas que vamos lutar para que sejam resolvidos, nas ruas, de mãos dadas e sem violência. A nossa voz é a nossa arma e é com ela que vamos mudar os rumos desse país que a gente tanto ama!

E por quê que eu tô aqui com esse discurso engajado pra você? Porque eu acho que, nesse momento, cada um ajuda como pode. E eu tô aqui pra contribuir com uma das coisas que esse blog faz de melhor: dividir lindos pôsteres com você. Rá. :)

Vamos pra rua, sem violência, sem vandalismo, com uma baderna controlada e cheia de esperança. Precisamos ser firmes, focados, e mostrar quem está no comando: o povo unido e organizado.

No lugar da raiva, o bom humor. No lugar da violência, a delicadeza. No lugar da quebradeira, o colorido. No lugar da revolta, o otimismo. No lugar da brutalidade, a sutileza. No lugar da ignorância, o esclarecimento.

"Os poderosos podem matar uma, duas ou até três rosas, mas jamais poderão deter a primavera. "
Che Guevara

Para baixar esses e muitos outros cartazes que têm muito o que dizer, acesse o site Benguelê Tarja Preta, clique na imagem, escolha a sua mensagem e imprima no tamanho que desejar!



Sabe que dia é hoje? Hoje é dia de mudar o país. E amanhã, e depois, e depois, e depois.... 

Autoria dos cartazes: Benguele Tarja Preta


Tecendo (filtros dos) sonhos

19/06/2013

Que alegria poder receber a visita de pessoas queridas e passar a tarde brincando de inventar arte! Essa semana, o post da seção Coisinhas de Colorir tem gostinho pra lá de especial. Mas não sou eu que vou contar não. Zilah, minha querida, é com você!


         

Há alguns dias atrás, passamos uma tarde super agradável no Ateliê Casa de Colorir. Thalita, Frida, eu (Zilah), Mari (minha filhota) e Joana (estagiária da Thalita). A tarde passou voando no meio de tanto blablabla, linhas, flores, lanchinhos gostosos, brincadeiras e de uma tentativa de tutorial para o Casa de Colorir.  Digo tentativa porque a gente se distraiu tanto contando caso que os últimos passos acabaram prejudicados pela falta de fotos. Mas é bem fácil, vocês vão ver.

Bom, o objeto desse tutorial é cheio de significados especiais desde sua origem até os dias de hoje, onde ganhou nomes e utilidades diferentes. Cada um conhece o filtro dos sonhos (ou pegador/apanhador de sonhos) e a história de sua origem de um jeito e por mais desencontradas que sejam as histórias que escutamos a respeito desse artefato oriundo da cultura tribo indígena norte americana Ojibwa, ele está sempre relacionado aos sonhos, à forma como lidamos com a vida e com que deixamos energias boas ou ruins interferirem no ciclo natural das coisas.

Tudo é extremamente simbólico no filtro dos sonhos e é aquela história de acredita quem quer. Para quem acredita que somos guiados pelos nossos pensamentos, sentimentos e energias, vamos lá que tem tudo a ver!

Materiais necessários:


- Aro de bastidor ou de cipó
- Cisal
- Linha (pode ser fio encerado, linha de ponto cruz ou um cisal mais fino)
- Cola super
- Tesoura
- Penas, botões, pedrinhas, sementes, flores artificiais e todo tipo de penduricalho e balangandã que você tiver por perto

Passo 1
Se você escolheu fazer seu filtro dos sonhos com o bastidor como a gente, você pode encapá-lo com o cisal, dando voltinhas nele todo.


Passo 2
Depois de enrolar o bastidor, você vai finalizar com um nó no final, deixando um aro para que ele possa ser pendurado. Finalize com a cola super para garantir que não solte.


Passo 3
Agora começa a parte que todo mundo acha que é complicada, mas nem é. Você vai  cortar aproximadamente 4 metros (o aro do bastidor tem 16cm) da linha mais fina, amarrar a ponta na parte superior e começar a tecer,  passando a linha novamente por trás do ar, dando a volta por cima e voltando com a linha por dentro dela mesma. Esse processo você repete até quase o fim do aro, com um espaço aproximado de 5cm entre os pontos.


A teia que guia ao centro representa a forma como você trabalha suas forças. “Se você trabalhar com forças boas será guiado na direção certa e entrará em harmonia com a natureza, do contrário, irá para uma direção que causará dor e infortúnios.”


Passo 4
Quando chegar quase no fim do aro, deixe um espaço entre o último e o primeiro ponto.


Passo 5
E aí volte a tecer o teia, ligando a linha que sai do último ponto ao centro do primeiro ponto, fazendo como no passo 3 (passa por trás, enrola e volta por dentro da linha).




Assim você vai até chegar ao centro. Confira se o círculo final está redondinho e no tamanho que você quer.


Detalhe do nó final, arrematado com cola super.



Para terminar, basta enfeitar com penas, flores e outros penduricalhos.



A peça do centro também tem um significado todo especial. Aqui usamos uma flor e ainda colamos pontinhos brilhantes na teia que são chatôs colados com cola quente. "No centro está a teia que representa o ciclo da vida. Use-a para ajudar seu povo a alcançar seus objetivos, fazendo bom uso de suas idéias, sonhos e visões."


Ao contrário do que muitos acreditam, o filtro dos sonhos não impede os sonhos ruins, mas impede que energias indesejadas interfiram no processo de sonhar.

Então, simbora sonhar e ser feliz?


Informações: Natureza Divina

{Thalita falando} Ah, e esse aqui foi o meu filtro dos sonhos! Dei de presente para a minha mãe! Não ficou lindo? Zilah, além de talentosa, és uma professora de mão cheia: paciente e carinhosa! Muitos beijos, querida amiga!


Zilah é nossa colunista da seção Coisinhas de Colorir e, lá no blog dela, o Dona das Coisinhas, tem mais ideias que são o supra sumo da fofura! Se eu fosse você, não perdia. :)

Dois cantos, muitos suspiros

18/06/2013

Quem olha assim, de repente, desavisado para essas duas fotos, pode jurar que é uma daquelas decorações feita para revista, ou aqueles espaços de mostra de decoração, que enchem os olhos e nem parecem de verdade. Mas ó, Drika e Rafael, donos desses cantinhos lindões, vão fazer você acreditar que o canto dos sonhos é, sim, possível! Com pouca grana, muito amor, um pouquinho de paciência e muitas, muitas molduras, seu cantinho sem graça também tem jeito. Não acredita? Depois dessas fotos até o leitor mais incrédulo e conservador vai querer um lugar assim para chamar de seu. ;)

Mas para contar essa história, vamos por partes: Rafael, estilista e gaúcho de Porto Alegre, começou toda a reforma comprando uma cabeceira antiga num brechó, tchê. Depois do primeiro passo, vieram os outros – pintou o criado mudo de amarelo, reformou porta retratos, fez capas de almofada e até montou uma mini estante!




E ele garante que foi facinho, facinho: “A estante de HQ eu mesmo fiz com algumas tábuas que meu pai ia jogar fora. Forrei uma prateleira com tecido e colei as folhas de revistas com cola branca.”

Rafael juntou tudo isso com uma tinta cinza, muitos quadros e o resultado ficou incrível. Ó Rafa, se as coisas não derem muito certo como estilista, já pode virar designer de interiores! rs



Se o quarto do Rafa deixou você boquiaberto, se prepara para o cantinho da DJ carioca Dri.K! Dri comprou o apê há menos de um ano e no início andava em pé de guerra com o coitado porque ficava a três horas de seu trabalho. Na disputa, quem perdeu foi o trampo:
“Desde que pedi demissão minha vida mudou. Consegui me apaixonar por ele e colocá-lo com a minha cara (até então tinha muita coisa ainda encaixotada). O que eu mais amo nele com certeza é a minha parede cinza com esse monte de bugigangas! Cada item tem uma história pra contar.”






Saindo da sala e indo pro escritório da Dri, mais uma surpresa: ela pintou as paredes de rosa bebê. Mas não pense que só por isso o cômodo ficou com cara de criança – a moça misturou latas de leite condensado antiga, uma cortina com estampa de zebra e muitos, muitos pôsteres!


Só de olhar para essas fotos da casinha da Dri.K, já me sinto aconchegada. E em qualquer casa que você se sente bem, dá uma tristeza na hora ir embora... Mas esse é o último cômodo igualmente lindo que a Dri compartilha com a gente: o quarto dela! Como no restante da casa, está cheio de objetos que refletem a personalidade da DJ. Mas a moça ainda é modesta:
“Não sou de planejar decoração não… Eu olho alguma coisa e penso "hum, isso pode ficar bacana em tal lugar" e quando vi já comprei. Como a minha casa é bem colorida, acho que tudo meio que acaba combinando no final… risos.” Concordo, Dri! Tudo combinou e tá lindo demais! 



Vocês lembram das histórias que contavam pra gente no colégio e depois tínhamos que responder qual era a moral da história? A moral da história desse post é: encha a sua casa com o que você gosta. Encha com fotos, com pôsteres, com discos da sua banda, com almofadinhas, com bandeirinhas de festa junina, com o que você gostar! Olhar para os lados e se deparar com objetos que você gosta é meio caminho andado para uma casa feliz!