Carregando...

3 luminárias, 3 mundos

31/08/2012



                                                                                             

O material? Um globo terrestre, desses que a gente encontra nas papelarias. O objetivo? Uma luminária, dessas que ficam lá no cantinho da sala, trazendo aconhego em forma de luz indireta. O estilo? Bem... essa parte é com você.

O que te inspira? O que alegra o seu dia? 
Não importa qual seja o seu mundo, deixo aqui o meu convite para que você o coloque debaixo do braço e faça por onde para deixá-lo bem do jeitinho que você deseja. :)
:: Mais amor ::




Como fazer?

>> Recorte alguns pedaços de contact em formato de coração. Você pode fazer tamanhos variados de corações. 
>> Não se preocupe com a cor do contact, pode ser qualquer uma!
>> Cole os corações diretamente sobre o globo.
>> Pinte todo o globo com tinta em spray preta fosca. Você vai pintar por cima dos corações. Duas demãos bem fininhas são suficientes.
>> Espere a tinta secar e retire os corações que foram colados para revelar as áreas do globo que não receberam a tinta preta.
>> Aplique 2 camadas de verniz em spray fosco para finalizar e retirar o brilho do plástico do globo.
>> A luz vai passar somente pelos recortes de coração, que refletem na parede, no mesmo formato. 


:: Mais liberdade ::






Como fazer?

>> As borboletas foram agrupadas usando um editor de imagem, com figuras foram pesquisadas no Google mesmo.
>> Imprima na impressora colorida de casa, em papel branco normal. O efeito meio falhado, caseiro, dá um charme para o projeto!
>> Recorte as borboletas e cole cada uma sobre o globo com cola branca, do tipo da que seca transparente. 
>> Depois das borboletas coladas, dilua a cola branca na mesma porção de água e use um pincel macio para passar a cola sobre toda a superfície, incluindo as borboletas.
>> Espere a cola secar e aplique 2 camadas de verniz em spray fosco para que o acabamento fique 100%. Faz toda a diferença. :)



:: Mais sensibilidade ::




Como fazer?

>> Corte tiras de aproximadamente 5cm de meio metro de um tecido rendado. Para facilitar a sua vida, você pode procurar por fitas de renda, que já vêm no formato que você precisa.
>> Use a cola quente para posicionar a fita no topo do globo e vá colando diversas tiras no sentido vertical, uma ao lado da outra, como se fossem gomos de uma laranja. Basta fazer um pontinho de cola quente no topo e outro na parte de baixo do globo, esticando as tiras na vertical. Essa maneira vai deixar as emendas mais regulares, lado a lado, garantindo um melhor acabamento.
>> Depois de cobrir todo o globo, dilua a cola branca na mesma porção de água e use um pincel macio para aplicar a mistura sobre a renda. A cola vai criar uma camada protetora, como se "plastificasse" a renda.


OBS: Os globos acima já foram comprados com iluminação interna. Diversas papelarias oferecem essa opção do produto: com ou sem luz. Esses eu encontrei na Kalunga, no centro do Rio.

OBS2: Na nossa página do Facebook você encontra 2 álbuns animados com os projetinhos acima. Ah, e vê se curte lá! Sempre tem uma coisinha ou outra além daqui. :)

Ideia concreta (como dividir ambientes)

26/08/2012



Certos espaços são tão grandes, mas tão grandes, que podem ser divididos em mais de um ambiente. Já outros são tão pequenos, mas não pequenos, que precisam se multiplicar para conseguir comportar tudo o que a gente precisa. Mas como fazer esse milagre - que só pode ser - de se multiplicar um espaço (que já é pequeno) para que ele tenha mais de um ambiente? Dividindo. Peraí? Multiplicar dividindo? Não desista que já já faz sentido.
Essa quitinete, por exemplo, conseguiu virar quarto e também virar sala, com a ajuda de uma divisão. Ou melhor divisória. A solução? Blocos de concreto empilhados. Ô ideia feliz. Aliás, 3 vezes feliz:
- é barata (cada bloco desse custa até uns 3 reais em lojas de bricolagem. Esse projeto, por exemplo, não custou mais do que R$45.
- é vazada: deixa a luz que entra só de um lado da casa chegar até o outro ambiente.
- funciona muito bem como estante de livros, CDs e os cacarecos que consideramos tesouros.

Ótima ideia para apartamentos de rapazes ou não? Já imaginou pintar os blocos, deixá-los coloridos, com vasinhos de plantas que despencam em cascata? Um charme. Digo mais nada. :)




Ideia: Casa Chaucha. É Medianeras, é Casa Chaucha... Tô tão hermana esses dias... Acho que é saudade daquela terra!

Atualização: Alguns leitores  fizeram um alerta nos comentários para um ponto importantíssimo: antes de colocar essa ideia em prática, é necessário ter em mãos o cálculo estrutural do espaço para ver se o apartamento suporta o peso.  Não façam essa estante sem a orientação de um arquiteto ou engenheiro, combinado? Em muitos casos, a própria administração do condomínio pode te ajudar com essa questão.


A Cultura do Inquilino

23/08/2012



Tem garagem, tem playground, tem salão de festas. Tem piscina, tem sauna, alguns até academia. Em outras palavras, a tal da área comum de condomínio. Área essa que todo folheto de um novo residencial faz questão de destacar em letras vermelhas e garrafais. Ou seja, os prédios oferecem uma série de distrações atrações como se isso fosse um grande benefício mas que, no final das contas, só acabam nos deixando ainda mais fora de casa. Como se já não bastasse o trabalho, o cursinho, o trânsito, o mercado, as contas pra pagar e tudo mais.

Já dentro de casa... como posso dizer? Bem, da porta pra dentro é onde a coisa aperta. A minha impressão é de que os espaços onde moramos não foram projetados pra gente viver, mas sim para sobreviver. Cada um friamente calculado para cumprir os requisitos mínimos que mantém nossas funções vitais - e nossa sanidade, claro: um fogão e/ou geladeira para alimentar, uma cama para descansar, um chuveiro para se lavar. O que for além disso é lucro. E o lucro sai caro, certamente.

O resultado? Espaços que não são acolhedores e pessoas que não acolhem o espaço - quase o dilema do Tostines, sabe? Gente que volta pra casa só para dormir. Que não decora, não recebe os amigos, que mal cozinha, que não festeja em casa, que não cultiva, que não não cria. Ou seja: que não mora. Gente que não constrói uma história ou imprime sua identidade pelos cantos da casa. Pelo contrário: se relaciona com o espaço com frieza, como se os momentos passados debaixo daquele teto não tivessem valia ou carregasse consigo alguma lembrança.

A Cultura do InquilinoNenhuma expressão resume tão bem essa ausência de afeto, de apego pelas coisas - e sobretudo pelas nossas casas - como esta, utilizada no excelente filme argentino Medianeras. O filme fala da solidão, dos encontros nessa era de www e da relação com uma cidade que cresce sem freio e sem critério.  Se você ainda não assistiu, preciso dividir com você esse trecho que é também, na minha opinião, uma das mais lindas aberturas de filmes que já vi:



Taí. Cultura do Inquilino. Ou do incompleto. Na noite em que assisti Medianeras pela 1a vez (pois é), fui deitar a cabeça no travesseiro pensando muito sobre essa nossa forma "inquilina" de morar, até mesmo quando somos os proprietários. Afinal, não se trata de uma questão de escritura, mas de cultura. Como fazer esse morador ter a capacidade de transformar a sua casa, de deixá-la do seu jeito, com a sua cara, se você mal tem espaço para colocar qualquer ideia em prática debaixo do próprio teto? Foi então que uma ideia surgiu! Daquelas que vêm assim, tão de supetão, que te fazem levantar da cama pra anotar no caderninho!
Já que os condomínios estão tão preocupados em nos proporcionar espaços que promovam nosso bem estar, eles poderiam oferecer um espaço adequado para promovermos também esse bem estar dentro da casa da gente. Cinco palavrinhas. Foi tudo o que anotei no caderninho: "Área Comum Faça Você Mesmo". Imagina uma sala no seu prédio, que não precisa nem ser lá essas coisas, mas que tivesse espaço e materiais necessários para você fazer pequenas mudanças em casa: lixar um móvel, fazer uma bancada, pintar aquela cômoda com uma cor mais alegre. Usar a furadeira ou uma pistola de cola quente também poderia ser um quebra galho e tanto, imagina só. Assim como a piscina tem o seu guarda-vidas para tomar conta do local, o cantinho "faça você mesmo" poderia contar com um profissional que ajude com questões mais técnicas e que garanta a segurança e a correta utilização/economia dos materiais. Precisou? Desceu, transformou, subiu e renovou. Sem bagunça, sem sujeira e, o melhor, com todos os materiais à disposição, mas sem a preocupação de armazená-los em casa.
Senhores construtores e síndicos: que tal? Não estamos nem pedindo projetos mais espaçosos e varandas mais arejadas. Estamos pedindo uma área pequena (minúscula sob o ponto de vista de vocês) e comum, como vocês tanto gostam de chamar. Mas que nos ajude a deixar o nosso canto com a nossa cara. Afinal, por mais que vocês ofereçam piscina, play, salão etc, aqui vai a verdade verdadeira: a gente quer mesmo é ficar em casa. :)

E você? Acredita que dá para reivindicar um cantinho desses por aí? Nossas casas agradecem!

Oficina Casa de Colorir na La Estampa

21/08/2012



Eu sei... eu sei... sumi. Fiz regime de posts por aqui. Falta de amor? De afeto? De cuidado? Nada disso, meu caro. A razão disso tudo se resume em 3 palavrinhas sofridas: fim-de-férias. Resolvi tirar essa última semana antes de voltar ao trabalho pra renovar o ares: descansar, pedalar, relaxar, namorar, boiar no mar. 

E desde quando faltou carinho e atenção por aqui? Tanto que já estava sofrendo por não dividir as fotos da última oficina com quem não teve a oportunidade de ir. Como foi? Bem... vamos às fotos.


São Pedro, generoso que só, nos presenteou com esse dia. E a La Estampa, parceira que só, nos presentou com esse local, cedido especialmente para a nossa oficina. 

Primeiro projeto do dia: almofadinhas com bolsos para guardar o controle remoto. A parte mais difícil era escolher a combinação de estampas entre tantas encantadoras.


Os criativos e suas crias. E bota criativo nisso, viu. Eu parecia uma tia orgulhosa com cada combinação feliz e cada almofada pronta!


O segundo projeto foi fazer uma caixa de lembranças, com 2 opções de presentes dentro: ou um kit de porta-copos ou um quadrinho com posters do Casa de Colorir feitos pela querida Tati Falcão especialmente para as oficinas.



O terceiro projeto foi uma bandeja acolchoada, que todo mundo tirou de letra:



E assim foi mais uma Oficina do Casa de Colorir. É uma emoção sem tamanho conhecer pessoas do bem, leves, criativas e que compartilham a mesma forma de enxergar a vida que você! Obrigada, muito obrigada a todos os 50 participantes dessa edição!

Aviso aos navegantes: o meu sonho é conseguir levar as Oficinas do Casa de Colorir para todo esse Brasil. Por isso, se você é uma marca / empresa que compartilha a mesma identidade do blog, entre em contato por e-mail (casadecolorir@gmail.com). Será um grande prazer tê-lo como apoiador do projeto!

Convite!

09/08/2012



Tá lembrado que domingo é Dia dos Pais, certo? Já pensou no presente? Pois eu tenho um convite pra quem está no Rio e quer passar uma tarde se divertindo, criando e aprendendo! :)


Se interessou? Como as inscrições são até o final do dia 09/08, me envie um email para receber os detalhes dos projetos e pagamento, combinado?

Espero você!

O melhor pai do mundo (Ideia de presente para o Dia dos Pais)

07/08/2012

"Pai, você é o melhor pai do mundo!". Quem nunca falou isso para o seu? O meu me ensinou o que era impedimento no futebol, me fez gostar de Tim Maia, me apresentou ao Kings of Convenience, me levava para passear em Paquetá e sentava comigo à noite, de frente para o mar, só para acompanhar as luzes do farol lá longe: brancada, amarelada, avermelhada... <3. "Mexe, cresce, pula nessa gruta. Vem sentir o mundo que lhe espera. Não demora, tô louco pra te ver chegar. Já plantei as flores pra chegada, já avisei à toda meninada. Eu só espero o dia de te abraçar"... até música ele fez quando nasci. 

Hoje, é, sem sombra de dúvida, meu melhor amigo e meu anjo da guarda. Me acompanha em todas as minhas aventuras - até nas idas ao Saara. Me acalma e também me agita, me incentiva. O meu pai realmente é o melhor pai do mundo! Mas se você aí discorda e acha que o melhor pai que existe é o seu, tudo bem! Meu desejo é de que dê empate nesse quesito em todas as casas por aí. :)

E se o seu pai também merece o troféu de melhor dessa vida, que tal essa ideia de presente no domingo?



Depois da alças secas, use a cola quente para fixá-las nas laterais da taça. Depois, basta se jogar na tinta em spray. Minha sugestão? Vá de tinta em spray fosca, que vai ficar mais classudo. Duas camadas são mais do que suficientes. Terra e uma plantinha mais masculina dão o toque final: suculentas, cactus ou até uma bromélia.



Pensei cá com meus botões: podemos até usar uma canetinha permanente para escrever um recadinho, fazer um desenho ou colocar o #1. Duvido que seu pai não vai ficar todo todo.

Ideia: A Fabolous Fete

Dálias pra toda vida (ou como desidratar flores)

05/08/2012



Qual a sua flor favorita? Já eu tenho uma queda pela dálias. As brancas então... o coração bate forte. Flores favoritas fazem um bem danado pra alma, você não acha? É só bater o olho nela que a gente sorri por dentro, pelo menos aqui é assim. Tanto que já cheguei a fazer algumas em papel e arame para tê-las sempre comigo. O passo a passo? Tem aqui.


Mas não estou aqui para falar de flores de papel, muito menos de mentira. Na semana passada completei 29 primaveras. E quando acordei, uma pequena primavera particular me aguardava na sala. Lê me deu esse buquê lindo e perfumado com flores do campo variadas. A florzinha branca que está no meio das coloridas? Sim, são as dálias brancas. :)

Mas porquê as flores não são eternas mesmo? Depois de 10 dias, murchas, já esperavam o destino quase que inevitável: o lixo. Mas não para as dálias brancas. Não dessa maneira. Não nesse domingo chuvoso. Aliás, que domingo chuvoso abençoado esse. Para um carioca, é quase que impossível não se sentir culpado em perder um dia de sol, de praia, de ar livre. Ainda mais se você tá de férias. Que pressão, gente. Tudo o que eu queria hoje era um diazinho chuvoso para jiboiar sem culpa (São Pedro, beijo procê). 

E assim foi. Do buquê que um dia foi cheio de vida, sobraram duas partes: a que foi para o lixo e a que foi para o forno. Separei as dálias brancas e resolvi desidratá-las. Como? Missão pro Google, que me mostrou as técnicas mais variadas quando perguntei: "como desidratar flores"? Entre opções com silica gel, quarto escuro e parafina, uma ganhou de lavada: a do microondas. O resultado? Fracasso total e quase desastre com vítimas. Vi a morte de perto! Subiu uma labareda (labaredinha, tá certo) de fogo dentro do micrrondas. Foi traumático, mas não o suficiente pra desistir! Somente pra entender que precisava partir para um plano B: confiar na minha intuição. E ela dizia para eu tentar o forno.

Cortei a parte do caule que estava em contato com a água do jarro, sequei os galhos com uma toalha e os coloquei no forno baixo por uma meia hora, checando a cada 10 minutos se tava tudo sobre controle. Depois de meia hora, retirei as flores, as amarrei com um pedaço de barbante e pendurei lá fora por algumas horas. Depois de bem secas, borrifei laquê de cabelo para impermeabilizar e deixá-las mais firmes.


E assim, o buquê que ganhei de presente virou enfeite pra toda a vida. 






Em tempo: não sei se essa "técnica" de assar as flores para desidratá-las funciona com todos os tipos. Mas que vale à pena testar antes de jogar as belezinhas fora, isso vale.

Ainda: no lugar do laquê de cabelo, acredito que o verniz fosco também cumpra bem o papel de proteger as flores depois de secas.

De fora pra dentro

02/08/2012




Sexta-feira passada fez sol, muito sol. E lá estava eu, em plenas férias, no Campo de Santana com meu pai. Entre gatos, cotias, patos e galinhas, andávamos pelas beiradas do jardim à procura de... galhos. É que no meio das compras do Saara, a pessoa encafifou que queria fazer um móbile para um quarto de bebê com os tais. Saldo da busca: 3 gravetinhos mequetrefes e a constatação de que os galhos do Campo de Santana não cheiram nada bem, credo em cruz. Nenhum galho colhido passou no teste de qualidade, ainda mais para um quartinho de bebê. Missão abortada, plano B: onde encontrar galhos cheirosos, em menos de meia hora? 

Nunca subestime o poder de variedade do Saara, meu caro e minha cara. No lugar de galhos, comprei algumas canelas em pau, 8 unidades perfeitas por R$3 no total (encontro esse tão feliz que até rimou). Isso sem contar no cheirinho suave de canela, né? O Saara nunca me decepciona.

Por quê eu contei isso?  Porque lá no meio do Campo de Santana, enquanto encarava a grama à procura de gravetos (férias, te amo), me ocorreu a idéia desse post - ou melhor, desse Inspira: "coisas que amamamos lá de fora e que incorporamos à nossa casa." Em outras palavras, Decoração de fora pra dentro.


E não é que encontrei muita inspiração?

#1. Essa pessoa gringa deve ter dado sorte de achar uns galhos mais cheirosos que o eu pra fazer esse móbile perto da janela, aposto.
#2. Folhas lindas e variadas, dentro de copos de vidro com água. Lindo, isso.
#3. Mais gravetos com cara de cheirosos viram esculturas. Duvido que sejam do Campo de Santana rs.


#4. Tesouros achados nas praias da vida. Ou seria na amada praia de sempre?
#5 e 6. Jarros de vidro abrigam gravetos, flores secas e mudinhas.

#7. O charme está na variedade de mudas. Ou seria de potes?
#8. Conchas variadas (ou lembranças daquele fim de semana) vão parar na estante. Eu disse estante ou livros + mãos francesas + parafusos? Pois é. :)
#9. Mais folhas, mais jarros. Muitos desses aqui a gente encontra em supermercados, vai. É só ficar de olho nos azeites, pimentas, águas, geléias...
#10. Essa parede, sim, é uma parede com história pra contar. Garimpo por garimpo. 
Montagens: Dearest Neature

E quando o tronco vira vela? E quando o tronco que vira vela ainda vem com o charminho do coração com iniciais? Muitos suspiros.
Imagem: Etsy


Um galho cheiroso vira até luminária.
Imagem: Etsy

E já que estamos falando em Decoração de Fora Pra Dentro, vamos incluir nessa lista os tesouros que estão lá no jardim ou no quintal? Sim, eles podem ficar um charme também do lado de dentro.



Cadeiras de plástico (des)combinadas com antigas cadeiras de ferro brancas. Sou chegada nesse charme do desgaste do ferro. Mas pra quem não resiste ao colorido, a tinta em spray tá aí pra isso, olha só:


E por falar em cadeiras de plástico, aquela branca de piscina, sem graça que só, pode receber de braços abertos algumas camadas de tinta em spray metalizada. Upgrade instantâneo ou o quê?

 Imagem: Houzz




Essa é uma daquelas fotos de decoração que só é boa porque a foto é linda, a luz é linda. Repare bem nesse espaço e imagine na vida real. Falta calor, hein, amigo. Mas o banquinho de praça na sala e o carretel com cadeirinha conquistaram meu coração.


Imagem: Design Sponge


E se o balanço virar sofá? Não sei se é prático - ou até muito confortável. Mas que é lindo, isso é. Típica ideia para colocar na listinha do "Se eu fosse rica...". 


O banquinho do jardim recebe algumas camadas de tinta branca e também muitas almofadinhas coloridas. Depois dessa, é promovido a sofá. O cinza da parede dá uma acolhida danada nos elementos pendurados ou não dá?


Imagens: Design Sponge e Pinterest