29

Decoração de raiz

29/11/12

Primeiro vieram as revistas. Depois, os programas de TV. Depois vieram os sites, os blogs de decoração e por fim os aplicativos do gênero. E, é claro, todos nos servem como fonte de inspiração e referência. Inspiração nunca é demais, eu sei... mas sabe do que eu mais sinto falta? Daquele tempo em que as pessoas decoravam com menos referência e mais instinto. Da época em que as casas brasileiras tinham a cara do nosso Brasil e eram decoradas por intuição, por costume e por capricho. As referências? Da própria família, dos amigos mais próximos, no máximo da vizinha lá da outra rua. O que era bonito aos olhos, enfeitava. O que era confortável, confortava. O que era gostoso, alimentava. Simples assim, sem medo de quebrar as regras. Aliás, que regras? Essas só vieram depois... junto com as inspirações. 

Hoje em dia temos tantas, mas tantas referências que, para muitas pessoas, decorar é eleger uma das infinitas ideias à disposição e copiá-la. A sensação é de missão cumprida, afinal, tiveram poder de escolha para eleger justamente aquela ideia para copiar no meio de tantas opções. 

Trocamos cumbuca, patuá e cobogó por "wishlist", "Design", "DIY" e o que era pra servir de inspiração se transformou em mandamento.  Quando mesmo que a nossa casa virou home

E como uma pessoa que passa a vida bisbilhotando casas e jeitos de morar inspiradores, digo de peito aberto e coração apertado: sinto saudade de ver mais casas brasileiras por aí. De espadas de São Jorge, de paninhos sobre a mesa, de cantinho de fé na sala. Sinto saudade de arte na parede que fale português e de cheiro de café sendo passado no meio da tarde. Saudade inclusive de quando a vizinha aparecia para tomá-lo com você. Enfim... saudade da nossa brasilidade impressa em cada canto da nossa casa, da decoração de raiz. 

Dia desses me peguei saudosa sobre esse assunto lá na nossa página no Facebook e lancei a pergunta: "O que toda casa brasileira tem que ter?". O resultado? Uma viagem no tempo coletiva, de muita lembrança e emoção. E, meses depois dessa brincadeira gostosa, eis que o marido me presenteia com essa série de fotos feitas durante um trabalho dele. Talvez elas não te emocionem tanto quanto me emocionaram mas, pra mim, foram uma tremenda de uma declaração de amor. Um verdadeiro presente que me fez voltar aos tempos da casa da minha bisavó no Méier (subúrbio do Rio). Do tempo de bate papo na calçada, de vó fazendo gostosura no fogão, de passarinho cantando na janela, de banho de mangueira e de muitos outros encantos que só quem cresceu numa típica casa brasileira pode entender.

 
E pra você? O que toda típica casa brasileira deve ter? Vamos continuar a brincadeira por aqui? Aproveito e te convido para viajar com a gente e passear pelas mais de 200 respostas inspiradoras compartilhadas pelos leitores (vem por aqui). 

Tô esperando a sua resposta, hein? :)

Por um futuro com mais inspiração nos acertos do passado. E viva a típica casa brasileira!

Fotos: Leandro Pagliaro - feitas em Paquetá, durante as gravações de Subúrbia, minissérie da Globo filmada por ele. Lê é marido, fotógrafo, cinegrafista e me enche de orgulho todo santo dia. 


29 comentários:

Leia Cook disse...

Vizinho...como escrevi na postagem Bons e Velhos Vizinhos aqui: http://www.coisasdaleia.com.br/2011/01/bons-e-velhos-vizinhos.html.

Parabéns pelo seu texto...delícia de ler e ver...bjsss

Vânia Cristina disse...

Adorei este post! Para mim, uma casa brasileira tem q ter toalhinhas de crochê...De todas as cores e formatos! Lembra a casa da minha avó! Minha tia, q já tem 80a, fez um tantão para o meu "enxoval" (sou do interior de SP e na minha família ainda fazemos enxoval hehehehe)

Manu Mitre disse...

Geniais as fotos, me fizeram buscar muita coisa na memória...

Fabiano Santiago disse...

Este comentário só vai servir pra te agradecer por trazer de volta lembranças tão boas. Lindas fotos, texto emocionante.
Um abraço. :)

Nina Sena disse...

as fotos sao sim, emocionantes... comentei a tua pergunta, mas nao sei pra onde foi , acho mt dificil comentar aqui Thalita :-(

Juliana Oliveira disse...

Acho que as toalhinhas de crochê são a cara bos brasileiros, ou melhor, das brasileiras. Encontro esse item desde a casa dos mais favorecidos financeiramente até a casa de madeira da minha tia no sítio...

Daniela Borges Ribeiro disse...

a espada de são Jorge e o paninho na mesa eu tenho. falta o café da tarde e a vizinha, já que o dia é muito corrido...

Conceição Matoso disse...

Esse vaso com espada de São Jorge, a cadeira de balanço e a geladeira e o fogão azul me fizeram lembrar da casa da minha vó. Boas lembranças! ^^

Carolina Queiroz disse...

Incrível... Conseguir sentir até o cheiro das casas :)

Ceu disse...

Adorei o post...uma viagem no tempo.
Bjs

Thais disse...

Lar doce lar... parabéns pela sensibilidade!

Luciene Rosi disse...

Lindeza de declaração!!
Viajei até o quintal da minha vó... onde eu aprendi a andar de bicicleta... onde me estabaquei e cai sobre a roseira dela... kkkkk (tirei todos os espinhos sozinha, e o medo da bronca?? kkkk)
Lembrei dos vasos de espada-de-São Jorge na lata de tinta....
Dos varais... amarrados no cobogó também!
Dos quadros com santos... minha vó é devota de Padre Cícero!
Boas lembranças... que me inspiram até hoje... ela me deu uma colcha de retalhos no ano passado, não dessa de patch elaborados que vemos carésimos não!! Ela fez juntando retalhos de costuras dela, da forma como ela achou bonito... tecidos de algodão e outros não...
Aproveitei e pedi umas toalhinhas de crochê (sempre tinha na estante na mesinha...) e ela me deu!! Ah coisa boa... de lembrar!
Obrigada pela nostalgia boa dessa tarde de sexta-feira!
Bjins, Luciene Rosi

sylvia disse...

AI QUE SAUDADE DA CASA DAS MINHAS AVÓS!

Anônimo disse...

Sei não, hein, Thalita. Pensar em uma "casa brasileira" é homogeneizar coisas muito diferentes. De que casa brasileira cê tá falando? Do barraco de quem mora numa favela? Da mansão de quem mora num bairro rico? De apartamentos minúsculos que são cada vez mais comuns nas grandes e médias cidades? De uma casa de classe média e sua decoração meio kitsch? A "casa brasileira" vai depender muito do imaginário de cada um. Pra essa gente que nasce, cresce e morre em apartamentos, só como exemplo, essa casinha caricata, à la Grande Família,que você tá sugerindo no post, não existe.
Só uma opinião. No mais, adoro o Casa de Colorir. É uma delícia passear por aqui. Sempre.

Fê Dutra disse...

Um terço, daqueles grandões de madeira, pendurado acima da cama.

Marcela Pontes disse...

Thalita, sinto o mesmo com os casamentos (como profissional desse mercado).
As decorações dos casamentos no Brasil, simplesmente reproduzem casamentos americanos.
O que é triste é q normalmente não tem um porquê, não tem uma razão, não tem verdade nem identidade.
Bjksss

Priscila disse...

Para mim toda casa deve ter lembranças que nos remetem a nossa infância. Alguma coisa que se faça presente de um momento passado e feliz. Uma foto no aparador, um caderno de escola quando estávamos no colégio guardado na gaveta, um cabide daqueles que a gente pinta de pequeno, sabe? Que sempre que abrimos o guarda roupas nos faz relembrar... para mim também são todos os bordados e toalhas de crochê que a minha avó me deu e ensinou a fazer.... minha casa é cheia de tapetes de barbante que eu fiz desde minha adolescência e faço até hoje.... coisas simples, pequenas, mas que me fazem sentir em casa e em família, mesmo estando distante. Um móvel que eu modifiquei, velho de guerra, que de tempos em tempos muda de cor, de posição, de textura... eu gosto de vida na minha casa, gosto de ter muitas lembranças de quem eu amo, desenhos mil da minha filha nas paredes, as marcas das patinhas dos meus cachorros pelo piso.... isso é o que realmente importa e o que fica, não móveis impecáveis, uma casa arrumadíssima e sem vida.... bom, pra mim é isso. Desculpe o desabafo! rs... beijos, adoro o seu blog e o seu trabalho! Priscila

Dricka disse...

Olá Thalita,
Não sei se já comentei por aqui, mas sei que já fucei seu blog inteiro.Hoje não posso deixar de comentar, porque já ha algum tempo, venho me perguntando cade a essencia brasileira de morar? Gosto muito do site casa chaucha e sempre percebo como os argentinos preservam a essencia do seu estilo. Tambem sinto muita falta de mais brasilidade nas casas brasileiras, fico arrepiada só de pensar que daqui uns tempos a gente perca a identidade na arquitetura, decoração como estamos perdendo nas festividades: final de ano me arrepia, não existem mais os presépios que era tão nosso, somente papai noel e neve artificial.
A decoração tambem conta a historia de um povo. E a nossa é assim: Tropical e singela.
Bjs
P.S.: desculpe pelo comentario imenso, mas esse post veem muito ao encontro do que ando pensando sobre decoração.

Thiemi Okawara disse...

De todas ideias, referencias postadas aqui esse foi, sem dúvidas, o post que mais gostei. Fez todo mundo ficar com saudadis da vó. E eu com a casa do interior de minas, sem porcelanato, sem blindex, com janela de madeira e piso de taquinho soltando.

Silvania Hovadick disse...

Lindas fotos! Eu e meu marido estamos fazendo a reforma da casa e estamos tentando resgatar um pouquinho este ar de casa da vó com um pouco da nossa personalidade (é claro!) e lembranças que temos da nossa infância. Não temos quintal (eu até acordo com o coro dos passarinhos na casa do vizinho, mas acho um absurdo que eles estejam em gaiolas), mas posso dizer que nossa casa tá aos poucos se transformando no que queremos - uma casa aberta a brincadeiras, horas na cozinha e espaço para as crianças (sem muita preocupação). Seu post me fez lembrar de uma reportagem publicada em outubro na Casa Cláudia que mostra fotos lindas feitas pela fotógrafa Renata Castello Branco na Comunidade de Paraisópolis (Zona Sul de São Paulo). Ela diz "Fotografei o lar, que é a alma das pessoas.”

Renata Pereira disse...

Tem que ter corda, varal, ou sei lá como chamam em outro lugar, para mim não tem nada mais genuíno que defina casa brasileira, aquela casa que vc entra e tem um varalzinho no quintal com alguma roupa secando, seja pano de prato ou roupa de bebê, para mim, não sei pq isso reflete esse quê de "casa que a gente lembra de quando era bem criança"
bjs

Betto Andreon disse...

Amei as fotos... É algo tão simples e doce, me lembra tanto minha avó! Poderia fazer uma galeria, algo assim com fotos que a galera mandasse com esse tema " O que toda típica casa brasileira deve ter? "

Márcia Silveira Pessoa disse...

Lindas as fotos, Thalita. Teu marido captou com sensibilidade toda a delicadeza de cada casa. É como se eu me visse em muitas delas, por me fazer lembrar de algumas coisas da casa de meus pais, avós, tios... aiii que saudade!!! Ahh tenho na varanda de casa, uma floreira cheia de espadas de São Jorge!

Um beijo,
Márcia
http://casadedoda.blogspot.com.br

Gabi disse...

Fiz umas fotos em um bairro diferente do Rio e... bem, não dá pra explicar muito mas o raciocínio é parecido com o seu post. A sua pergunta "qnd foi que a nossa casa virou home" é parecida com a minha: "Qnd morar passou a ser sinônimo de poder, de ter e não de viver"

Posso te mandar? Vou colocar em um site disponível para ser visto e baixado, a idéia é a questão ser popular e não elitista.

Vou mandar, se você puder... veja. =)

Beijos!

O blog é sempre uma delícia!

Simone Silva disse...

Linhas as fotos!! Quando começou a mini-série, eu fiquei imaginando onde conseguiram achar aquelas casas com aquela decoração característica do subúrbio que não existe mais. Me lembra muito a casa da minha avó, também no Méier, onde passei minha infância. Que saudades!!

Eriquices disse...

vamos espalhar esta brincadeira em outros blogs!=))

minhacasaminhalida disse...

Às vezes me canso um pouco de visitar os blogs, pois vejo que o assunto é quase sempre o mesmo: colocar fotos de projetos e dizer que são lindos. Eu adoro uma boa discussão sobre o que vivemos! Isso me encantou em seu post. Pra mim, o que falta em nossas casas é um pouco de nós mesmos. Como vc disse, está sobrando pitaco! É muita revista, muito site, muita imagem do Pinterest ditando regras que não existem (ou não deveriam existir).
Lutamos tanto pra conseguir nossa casinha própria ou pra pagar o aluguel e parece que nos esquecemos de quem são seus moradores. Somos nós mesmos! E é importante estarmos felizes por isso, satisfeitos com a conquista e principalmente se identificar dentro dela, olhar pras paredes e se enxergar, ver o desenho do filho virar quadro, o móvel herdado da avó se transformar em destaque na sala e assim por diante.
Falta nós mesmos.

Decora Adora disse...

Lindas sus fotos. Yo imagino siempre una casa brasileña llena de color y con mantel otros de crochet
Adore su blog
Saludos
Angelica

Thiciana Sasse disse...

Minha casa é muito assim. Tem craft mas tem tradição também. Posso te mandar fotos? Sou fotógrafa e adoooro decoração, sempre faço fotos de decoração e coisinhas assim!

Fique por aqui e passeie por outras histórias. :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...