Ideias de presentes para o Dia das Crianças

27/09/2012

Faltam 2 semanas para o Dia das Crianças e cá estou eu engordando a nossa seção "Presentes Singelos" especialmente para a ocasião. Aliás, post esse que publico com uma antecedência exemplar que, de tão exemplar, chega até a deixar a pessoa aqui com orgulho!

Pois bem, mães, pais, madrinhas, padrinhos e titios camaradas! Nesse Dia das Crianças, que tal gastar um pouco de energia para ver aqueles olhinhos arregalados cheios de empolgação e mãozinhas nervosas pra começar a brincadeira? Aliás, mulherada, olha aí aquela oportunidade de realizar o próprio sonho de criança! Afinal, quem nunca desejou uma casinha de bonecas pra chamar de sua? Se você faz parte desse time, aposto que você vai se divertir não só preparando o presente como também fazendo companhia para a brincadeira depois. Quer se tornar o melhor pai, mãe, tio, padrinho, irmão mais velho em questão de minutos? Então fica por aqui comigo que você se dá bem. 

Uma estante de livros, aquela que tá lá encostada no quartinho, sabe? Não sabe? E aquele criado-mudo que você deixa aí no canto só por dó de se desfazer? Pois sim. Tá na hora de dar um destino mais útil pra esses móveis. E tem destino melhor do que as mãos de uma criança empolgada e sorridente? Tem não, gente. :)



Posso com o criado-mudo que virou cozinha verde-menta? Não posso. E com o cantinho da bricolagem para os meninos? Aliás, se você acha que esse tipo de presente vale só para as meninas, você precisa rever seus conceitos, olha só:

Tem cozinha, bombeiro, tem casinha, tem até lanchonete. Enfim, tem o que a sua imaginação e a da criançada mandar!




Tem até gaveta que virou uma casa bem da espaçosa:


Ideias: Upcycle Us, Disfunctional Designs, Apartment Therapy, Repeat Crafter Me.


O casamento da Fern e do Rafa

26/09/2012

Lembra do chá de panela da minha grande amiga Fern? Pois sim, 2 meses se passaram desde aquela farra e o dia "D" finalmente chegou! No sábado passado, a Fern e o Rafa se casaram . Ou melhor: casaram pela 3a vez e festejaram com os amigos. "Mas como assim? Casaram pela 3a vez? São ciganos? São ricos?". Pelo contrário, meu caro e minha cara. Os três dias de festa foram a solução para um casamento que, mesmo com a grana curta, conseguisse receber todas as pessoas queridas. O 1o, somente no civil, reuniu num pequeno cartório somente os parentes mais próximos e os padrinhos que assinariam os papéis. No 2o casório, a mãe do noivo ofereceu um almoço delicioso para os parentes e padrinhos. Foi um evento mais formal e restrito, dedicado aos "adultos" (você sabe o que eu quero dizer rs). E, por fim, nesse sábado foi dia da comemoração dos amigos com direito à música, drinks, comidinhas e, é claro, decoração. :)

Como a mãe do noivo mora em uma espaçosa casa na Gávea, ela gentilmente emprestou o espaço para a comemoração e até viajou. Ou seja: deixou o território livre para a festança. A ideia inicial era fazer um casamento ao ar livre, no jardim da casa. Mas São Pedro não gostou muito dessa ideia e resolveu nos presentear com 3 dias seguidos de chuva, para desespero da noiva ansiosa. No entanto, parece que São Pedro entende mais de decoração de casamento que a gente, pois ter chovido foi a melhor coisa que aconteceu! No fim das contas, a dinâmica da festa acabou ficando muito melhor dentro de casa, pois ficamos mais perto do banheiro, do bar e da cozinha. Quando percebemos que a chuva não ia dar trégua, tentamos convencer a Fern(anda) a assumir logo que seria um casamento indoor. Ou seja: vamos fazer o melhor que pudermos dentro de casa! É melhor do que deixar tudo lindo lá fora e, no caso de chuva, todo mundo ter que ficar lá dentro, com cara de festa americana. Como não tinha muita escolha, a noiva se conformou com a mudança de planos. Aliás, mudança de planos na véspera do casamento pode enlouquecer a vida de qualquer noiva, não é mesmo? Mas as madrinhas e melhores amigas estavam lá pra isso, para segurarem a onda e fazerem de tudo pra deixar as coisas do jeitinho que ela esperava. 

Quando começamos a planejar o casamento, já sabíamos que a grana para a decoração era curta (ou quase nula), pois a prioridade dos gastos foram dos quitutes, música e bebidinhas. Como os verbos comprar e alugar não seriam uma opção, resolvemos investir nossas fichas no verbo buscar. Antes do casamento, conversamos com nossos amigos mais próximos para saber o que cada um poderia emprestar para o casório. Valia desde copo de requeijão para servir de vasinho de flor até uma escada descascada que daria uma charmosa estante de flores. E assim foi. Em vez de gastar dinheiro com compras, gastamos dinheiro com um frete que, na véspera, passou na casa de todo mundo recolhendo os itens de decoração: mesinhas de apoio, mesa de carretel, escadas, luminárias, malas antigas, piscas e até molduras entraram no pacote!

Apesar da chuva, o clima no Rio era quente. Por isso, leques de madeira foram o brinde para as mulheres. Onde compramos os leques? Não compramos! Eles foram sobra do brinde de casamento da irmã de uma das amigas, que aconteceu há 5 anos. Quem guarda tem... sempre tem. :)





As borboletinhas recortadas em cartolina foram pensadas para ficarem no jardim, em um lindo muro de heras. Com a mudança de planos, elas foram uma boa saída para a parede acima do sofá, ocupando o lugar dos quadros, que foram devidamente guardados. Apesar de ser um casamento de dia, como o tempo estava bem feio e era na parte de dentro da casa, tivemos que pensar em uma iluminação para deixar o clima mais aconchegante. Nada de luz do teto! A iluminação certa já é 70% do caminho, na minha humilde opinião. Piscas, luminárias improvisadas e até um ventilador antigo deram conta do recado. Atrás do sofá, por exemplo, uma lâmpada destacava as borboletas na parede. Já como mesinhas de apoio, usamos algumas malas antigas empilhadas e um criado mudo fez as vezes de cantinho de recados para os noivos. Os noivinhos de Lego que enfeitavam o bolo foram presente de uma amiga de infância que os trouxe de uma viagem. 

Na mesa do bolo, livros e malas antigas davam o tom da decoração. Os livros também foram usados para os arranjos de mesa da varanda. No bar, uma placa de madeira pintada com tinta de lousa apresentava as opções de drinks. Reconheceu o banquinho de madeira e o carretel? Até os móveis da minha sala foram parar lá, graças ao frete! Aliás, teve uma hora, no meio do casamento, que fiquei procurando o Le pra cima e pra baixo e, quando o encontrei, ele tava sentado sozinho nesse cantinho com os móveis aqui de casa. Deve ter achado familiar, não sei... só sei que deu vontade de esmagar quando vi a cena. 


Na hora das fotos com os padrinhos, as molduras vazias que enfeitavam a sala foram recolhidas e usadas para a brincadeira. Acredito que a carinha dos noivos nas fotos traduzem bem a doçura e emoção presentes naquele ambiente! Faltam palavras para descrever a alegria que todos nós sentimos em poder fazer parte desse momento com eles! No total, foram quase 12 horas de festa, com muita dança, comida, bebida e também emoção e alto astral incomparáveis. "Quem tem amigo tem tudo", afirmou a Fern durante seu discurso (claro que teve discurso!). E esse dia foi a prova viva de que um belo casamento se faz, acima de tudo, de GENTE! Gente que quer comemorar, gente que deseja o bem, gente que ajuda e que faz da felicidade do outro a sua própria felicidade.

E esse casamento foi assim. De 2 pessoas que se amam muito e de muita gente que ama essas 2 pessoas. <3





PS: E não é que tô tomando um gosto tremendo pelo prazer em fazer casamentos possíveis e com a carinha dos noivos? Vai casar? Conhece alguém que vai e precisa de uma ajuda com a decoração? Pois tô pensando em oferecer "meus serviços", que tal? Vou até repetir aqui o e-mail, vai que... né? :) É casadecolorir@gmail.com.

Ímãs de geladeira - Faça você mesmo!

12/09/2012

Escrevo esse post com uma só mão, porque a outra tá ocupa fazendo a dancinha da felicidade: o Casa de Cueca voltou!

O Carlão, nosso cueca veterano anda ocupado que só com seus projetos pessoais, mas não nos abandonou não, viu? Pra engrossar o coro, vamos dar boas vindas ao Eduardo, nosso novo colunista da seção Casa de Cueca. Edu e Carlão vão se revezar para trazer mais inspiração de decor pra macho, pero sin perder la ternura jamás. :)

Com a palavra, ele:

Muito prazer, me chamo Eduardo. Tenho 30 anos, sou publicitário e, atualmente, diretor de criação em uma pequena agência aqui em BH.
Sempre gostei de tudo que se refere ao visual das coisas, sempre achei que dava pra incrementar algo. Acho que é mal de publicitário analisar o mundo esteticamente e ficar o tempo todo tentando mudá-lo. Apesar de gostar de decoração, sempre morei em apartamento alugado e imaginava que seria um desperdício investir em algo que não é meu. Minha visão mudou quando mudei pra uma casa (graças ao meus dois cachorros endiabrados) e tinha espaço demais, idéias demais e dinheiro de menos. Então comecei a buscar soluções praquele monte de cômodo em tom pastel. Depois de achar infinitos blogs comandados por mulheres, decidi criar um pra mim com sugestões que fossem criativas e baratas, mas adaptadas pro universo masculino. Que fique claro: as cores estarão presentes, mas com um "frufru" a menos. 



Ímãs de geladeira personalizados


Sempre quis ter uma cozinha tipo aquelas lanchonetes americanas com o estilo bem retrô, mas por falta de $$$ tempo tô tendo que me virar com o que dá mesmo. Então, a primeira dica é pra você dar uma turbinada na sua geladeira branca enquanto não consegue comprar aquela vermelha vintage dos sonhos.



Para fazer seus imãs personalizados você vai precisar de:
- Imagens de propagandas antigas, rótulos etc., impressas em papel adesivo. 
- Manta imantada (encontrada em lojas de artesanato)

" Ah Eduardo, seu primeiro post e você já vem falando de manta imantada? "
Sem pânico, uma alternativa é reaproveitar o ímã daqueles telefones de pizzaria, telegás, farmácia etc. Aposto que sua caixa de correio está cheia deles.

"E o tal do papel adesivo?"

O papel adesivo é mais prático de trabalhar e vai deixar um melhor acabamento. Mas você pode imprimir na impressora de casa mesmo e usar cola branca para colar sobre o ímã e, por cima, mais cola branca para proteger.


É tudo muito simples: com um programinha de edição de imagens, basta montar todas as que você escolher em um arquivo do tamanho de uma folha A4 e mandar imprimir em qualquer gráfica rápida (eu paguei 2 reais por impressão). Depois, é só recortar e aplicar  como achar melhor. No caso de usar os ímãs que você tem, é só imprimir suas imagens, colar por cima e acertar com a tesoura.




Então vamos combinar assim: antes de encher sua geladeira de cerveja pro fim de semana, faça um gracejo com a moça e a deixe mais bonita. Pra não ter desculpa pra não fazer, é só clicar aqui  e aqui, baixar  as imagens que eu usei e fazer seus ímãs também.
Mas se quiser aproveitar e soltar a imaginação, que tal chamar a criançada e fazer imãs com os personagens dos desenhos animados ou até mesmo com fotos da família?



E essa cozinha "retrô" ainda vai render mais posts. Até lá!

>> O Eduardo é nosso colunista do Casa de Cueca e autor do blog Homens da Casa. Comenta aqui pra ele ficar feliz, animado e motivado? :)

Brincando de Casinha

11/09/2012

Lembro muito bem de como era quando eu tinha lá os meus 10 anos. Ah, como eu brincava de casinha… E não precisava ter a companhia de uma amiga, não! Era capaz de ficar horas ali, sozinha, construindo cada detalhe daquele espaço imaginário. Chegava a perder a noção do tempo. Lembro ainda que a graça maior não estava exatamente em brincar de casinha, mas sim em montá-la toda, deixá-la do meu jeitinho pra depois… bom, depois a brincadeira acabava. E começava outra vez, e outra vez, e outras muitas vezes. Ou seja: a diversão toda era arrumar a casa e só. Você também tinha disso ou era comigo? A graça ficava por conta da caminha, do banquinho que eu fazia de mesinha, do quadrinho que ficava ali, da plantinha que ficava lá. Tudo muito "inho", literalmente.

O que eu não lembro foi de quando essa brincadeira toda acabou. Ou qual foi o dia exato em que abri os olhos e passei a não mais brincar. Aliás, de forma alguma. Mas eu sei que foi assim, num piscar de olhos, que aquela fantasia toda um dia cedeu ao ritmo que a vida adulta vai tomando.

Já os homens, estes sim, são mais evoluídos que nós mulheres nesse quesito, já parou pra pensar? Eles conseguem manter esse espírito da brincadeira vivo até hoje com maestria. Que homem você conhece que não tem aquela brincadeirinha sagrada da semana? Aquele do futebol da galera do trabalho, ou que não passa um sábado sequer sem pegar onda, sabe? E aquele então que não perde o pôquer com os amigos ou que não dorme sem "zerar" aquele joguinho do computador? Pois é, e que saber? Eles é que estão certos, pois ainda conseguem separar um espaço no meio da rotina (que também é puxada) pra fazer algo só pra eles, por lazer. Ou em outras palavras, pra brincar.

A vida é corrida, e eu não sei? Tem trabalho, tem casa, tem academia (porque é piada chamar essa aí de brincadeira), tem família, cachorro e periquito. É pra internar a pessoa que, depois disso tudo, ainda quer espaço no fim do dia pra ficar brincando. Será? "Mas ele não tem uma máquina de roupa pra bater e uma casa pra arrumar. Aí é fácil" - você pensa. Sei bem como é, afinal, também sou mulher. Mas pensa também: se você tem uma casa pra manter em ordem, todo santo dia, por quê não fazer dessa hora um momento de prazer em vez de obrigação?  Em outras palavras, por quê não voltar a brincar de casinha? Só pra sentir aquela sensação de montar, detalhe por detalhe, sem pressa e com todo o esmero, tudo isso pela satisfação em ver tudo pronto no final. Lembra? Pois eu tenho brincado. Bastante, até! Sou uma eterna cansada e atarefada, mas ao mesmo tempo plena, realizada. Não moro como nos meus sonhos, mas moro feliz.

Dar-se ao trabalho também pode ser prazeroso. E a gente descobre isso quando o processo todo de transformar alguma coisa se torna mais gostoso que o resultado final. Se for pra ocupar mais nosso tempo, que seja brincando, nem que seja de casinha. Aliás, quer brincadeira mais generosa que essa, se a casa não for só sua? A novidade, o humor e a cor acabam contagiando todos que dividem o mesmo teto. Mas não vamos perder o foco! Faça por você e por mais ninguém! O bem aos que estão em volta também é consequência do bem que fazemos a nós mesmas.

Dedico esse texto a todas nós, mulheres atarefadas-toda-vida, e aproveito pra deixar aqui o meu maior desejo: que vocês redescubram o prazer de brincar de casinha. :)



PS: Só botei uma foto de nada pra não ficar assim, um blocão de texto sem piedade. Mas, de vez em quando, dá vontade de dividir uns blá blá blás com vocês. Então já sabe, né? Quando tiver essa tag daí, trata de pegar um chá, um café e senta que lá vem a história. :)



Menos texto e mais amor, por favor.

03/09/2012

"Me deixa que agora eu mereço um tempinho pra mim, vai. Não quero me preocupar, não quero ler, só quero ver uma coisa bonita e inspiradora no meio do meu dia. Vou aqui ler meus blogs de decoração que eu sempre leio" - você pensa.

Aí você digita... e acaba aqui. Ou em outro blog de decoração que você também goste. 

Mas o problema é que o dia já começou difícil (ou não vai terminar fácil) e tudo o que você menos quer nesse momento é justamente... ler! Duvido que não tenha gente que passe por aqui, veja aquele blocão de texto e não suspire, na dúvida se encara ou não. Muitas não encaram e partem direto para as imagens.

"A pessoa tagarela, gente... cadê figura? Cadê colorido? Cadê inspiração?". Eu sei que você pensa assim de vez em quando, viu. E não é porque eu leio pensamento ou coisa parecida. É porque além "blogueira", eu também sou leitora, também tenho lá os meus dias difíceis e cansados e também tenho os meus momentos de menos texto e mais amor. Para dias comos esses, quero dividir com você o Tumblr "Sweet House Of Mine". Para quem não sabe, Tumblr é uma espécie de blog, com tudo de foto e nada de texto. E esse... vou te contar... às vezes parece até que foi feito pra mim. Tudo o que eu adoro em decoração, sem esforço, sem palavras, pra devorar com os olhos mesmo, sem moderação. 

Espero que você também goste! :)














Esse post faz parte da série Sites do Coração. Já conhece? :)

Como pintar um móvel estilo Casas Bahia





Não, esse não é um post patrocinado. :) Mas é que a pergunta teima em aparecer por aqui de tempos em tempos: “Thalita, como eu pinto um móvel estilo Casas Bahia?”. De tanto perguntarem, me senti na obrigação de responder.


Pra começar, o tal do “móvel Casas Bahia”, assim entendo, é esse tipo de móvel que não é feito de madeira de verdade. Geralmente de MDF ou compensando, possui um acabamento laminado ou então de fórmica. Em outras palavras, é aquele móvel totalmente funcional, que guarda as suas tralhas, mas que não decora. Não sei se você tá lembrado, mas aqui no blog já pintei 3 móveis desse tipo. Por isso, vou usar esses exemplos para tentar montar esse guia rápido de dúvidas para quem ainda está com medo de se jogar numa transformação. O que você vai encontrar aqui são algumas conclusões sobre tintas e técnicas que aprendi através das minhas tentativas, erros e acertos. Modéstia à parte, por aqui elas funcionaram bem que só. Espero que funcionem por aí também!


Em 1o lugar, lixe, mesmo que você ache que não precisa. “Mas é tudo lisinho, lixar o quê, Dona?”. Lixar o que puder de verniz, deixar a superfície o mais porosa possível. Você não vai notar grande diferença ao olhar para o móvel lixado, mas a superfície vai estar mais preparada para receber a tinta, que vai aderir com mais facilidade.
Para saber quando parar de lixar, olhe a superfície contra a luz e veja se ainda há brilho sobre ela. Se sim, continue lixando até que a superfície esteja bem fosca. Para um criado mudo pequeno, de aproximadamente 40cm de largura e 70cm de altura, você vai levar uns 20 minutos lixando. Superfícies em fórmica também devem receber uma lixa antes da pintura.


Alguns desses móveis são feitos com folhas de fórmica ou laminados que, com o tempo, acabando lascando, descascando. Por isso, antes de partir pra pintura, dá pra resolver rapidinho essa questão com uma massa. Eu uso uma específica para madeira e dá certo. Basta espalhar como se fosse um reboco de parede com a ajuda de uma espátula. Vá esticando a massa até que ela fique do jeito que você quiser e deixe secar. Depois de seca, basta lixar a superfície para que ela fique ainda mais lisa e uniforme, sem desníveis entre áreas com massa e áreas sem massa. Repita essa operação até que a superfície esteja bem nivelada. Para cobrir essas falhas aí da foto com perfeição foram necessárias 3 camadas de massa.

Vou confessar a você: nunca usei uma base para pintura. Sempre parti direto para a tinta. A questão é que o fundo nivelador te ajuda muito a garantir uma pintura uniforme e que não descasque. Além disso, ele diminui a quantidade de demãos de tinta, pois a mesma vai cobrir a superfície com mais eficácia.
Por isso, se você não quiser arriscar, te aconselho a fazer como manda o figurino. O rapaz da loja de tintas pode te ajudar com as inúmeras marcas disponíveis no mercado. Mas se me permite uma dica, aqui vai: escolha uma base da mesma marca da tinta que você deseja usar. Eles foram feitos para trabalharem em conjunto, então, há mais chance dessa combinação dar certo.


A hora de pintar é que são elas, não é mesmo? Fica a dúvida: com qual tinta pintar? Se for para a área externa, não tem saída: o jeito é pintar com esmalte sintético à base de óleo usando um rolinho ou  então partir para a tinta em spray (que, no caso, é o mesmo esmalte sintético à base de óleo, só que em aerosol). Mas se a sua pintura for para a área interna, temos algumas opções:

- Tinta Acrílica: É a mesma tinta usada para pintar paredes. À primeira vista, parece que não vai funcionar nos móveis estilo “Casas Bahia”, mas já pintei alguns e o resultado dá certo. Além dos galões de 250ml que você encontra nas lojas de bricolagem, você encontra também esses potinhos de tinta acrílica (PVA) em lojas de artesanato. A cartela de cores é imensa e o preço é camarada. Com R$10 (ou 4 potinhos) você pinta um criado mudo, pois dá pra diluir a tinta em aproximadamente 30% de água, o que faz a mesma render bastante,  O segredo? A primeira demão funciona como uma base para receber as demais camadas. Essa primeira camada ficará quase transparente, cheia de falhas. Quando ela estiver seca, dê uma leve lixada (cuidado para não retirar a tinta) e parta para a segunda demão. Já a segunda ficará totalmente coberta, mas com pequenas falhas e a terceira deixará o acabamento 100%. É aconselhável diluir a tinta em um pouco de água e usar um rolinho de espuma macio e bem limpo.
Para pintar: use uma bandeijinha de pintor para despejar a tinta e diluí-la em água. Passe todo o rolinho de espuma na tinta, sem economia e de forma igual em todos os lados. Acumule tinta no rolinho, ou “carregue de tinta”, como costuma-se falar. Espalhe o rolinho bem molhado sobre a superfície, como se fosse molhar todas as partes com a tinta. Depois de aplicar a tinta em excesso em toda a área, esfregue o rolinho na bandeja de pintura, pressionando para retirar o excesso de tinta. Passe novamente o rolinho mais seco sobre a pintura, sem esfregar ou fazer peso. O próprio peso do rolinho deve passar pela supefície, absorver o excesso de tinta, espalhá-la melhor e alisá-la. Deixe secar e, entre uma demão e outra, dê uma leve lixada para que o acabamento fique 100%. Para proteger, aplique verniz em spray fosco sobre todo o móvel.
Onde encontrar? Em lojas de tinta ou bricolagem. Você pode escolher entre centenas de cores disponíveis na cartela.  Para móveis pequenos, uma latinha de “Tira Teima” é o suficiente. Muitas lojas de bricolagem oferecem essas latinhas menores para que você teste o tom da tinta. Para pintar móveis, escolha sempre 1 tom mais escuro do que você realmente deseja, pois a cor costuma ficar mais clara no móvel do que na amostra.

- Tinta em Spray: Aconselhável somente para móveis pequenos, pois faz sujeira e possui cheiro forte. Por mais que você ache que o local está protegido com jornal, aconselho triplicar o cuidado ou pintar em áreas externas ou na garagem. Além disso, se o móvel possuir partes em ferro ou plástico, a tinta em spray é uma boa pedida para fazer esse acabamento.
Antes de aplicar a tinta sobre o móvel, teste a mesma sobre um jornal, na mesma direção e do mesmo jeito que será aplicada sobre o móvel. Observe se a pintura está sem gotas, sem falhas. Se estiver tudo ok, parta para a superfície desejada. Repita esse passo sempre que você ficar mais de 20 minutos sem usar a tinta, pois o bico do spray pode ressecar e entupir, causando os indesejáveis respingos.
O segredo para aplicação da tinta em spray está na quantidade de tinta aplicada. A primeira camada não deverá cobrir a superficie perfeitamente. Aliás, ela não deve cobrir nem metade dela, somente dar uma manchada como um todo. A primeira camada deve funcionar somente como uma nuvem de cor, que prepara uma base para a segunda demão. Evite aplicar a tinta muito tempo sobre o mesmo local. O acúmulo de tinta é o que faz a mesma escorrer. Para garantir que isso não aconteça, pinte uma superfície de cada vez, na horizontal. Fique atento, no entanto, para que a lata de tinta esteja sempre em pé. Se ela estiver deitada, você corre o risco de ter que lidar com respingos. Se isso acontecer, passe um jornal sobre o relevo da gota, ainda úmida, para alisá-la. Espere secar totalmente e aplique uma nova camada de tinta.
Para proteger, use verniz em spray fosco ou brilhoso, dependendo do acabamento desejado.
Onde comprar? Você encontra as marcas Colorgin e Suvinil com facilidade nas lojas de bricolagem ou de artesanato. Elas são fáceis de se trabalhar, mas a cartela de cores é limitada e só se encontram em acabamento brilhoso (com exceção do preto e branco, que também existem no acabamento fosco). Além dessas duas marcas, eu costumo usar uma tinta em spray chamada MTN 94, que possui uma variada cartela de cores, um cheiro mais suave e o acabamento é fosco.Eu sei que vende aqui e aqui. O valor? Um pouco mais barato que Colorgin e Suvinil.

- Esmalte Sintético: se você quiser um efeito parecido com o laqueado ou com o da tinta em spray, a pedida é o esmalte sintético aplicado com um rolinho de espuma. Dê preferência pelas opções à base de água, que possuem um cheiro mais suave e são mais fáceis de limpar a sujeira (incluive de rolinhos e pincéis).
Disponível em dois acabamentos, o nome já diz tudo: fosco para o acabamento matte, sem brilho. Ou brilhoso (ou alto brilho) para aquele acabamento tipo laqueado. Eu gosto muito do acabamento fosco.
Para pintar: use uma bandeijinha de pintor para despejar a tinta e diluí-la em água. Passe todo o rolinho de espuma na tinta, sem economia e de forma igual em todos os lados. Acumule tinta no rolinho, ou “carregue de tinta”, como costuma-se falar. Espalhe o rolinho bem molhado sobre a superfície, como se fosse molhar todas as partes com a tinta. Depois de aplicar a tinta em excesso em toda a área, esfregue o rolinho na bandeja de pintura, pressionando para retirar o excesso de tinta. Passe novamente o rolinho mais seco sobre a pintura, sem esfregar ou fazer peso. O próprio peso do rolinho deve passar pela supefície, absorver o excesso de tinta, espalhá-la melhor e alisá-la. Deixe secar e, entre uma demão e outra, dê uma leve lixada para que o acabamento fique 100%. Para proteger, aplique verniz em spray fosco sobre todo o móvel.
Onde encontrar? Em lojas de tinta ou bricolagem. Você pode escolher entre centenas de cores disponíveis na cartela.  Para móveis pequenos, uma latinha de “Tira Teima” é o suficiente. Muitas lojas de bricolagem oferecem essas latinhas menores para que você teste a o tom da tinta. Para pintar móveis, escolha sempre 1 tom mais escuro do que você realmente deseja, pois a cor costuma ficar mais clara no móvel do que na amostra.


Além das tintas, já vimos por aqui que também é possível brincar com tecidos e papéis nas gavetas, tampos de mesa e onde mais sua criatividade desejar. Mas essas são cenas para os próximos capítulos. Espero que esse guia te ajude a garrar confiança e colocar a mão na massa. Sempre quando tiver novidades, acrescento aqui no nosso guia, que só tende a ficar mais completo! Combinado?