Os 10 mandamentos - IX

31/07/2012


É novo no pedaço? Nunca ouviu falar em 10 mandamentos? Entenda aqui.


Casa que é casa de verdade tem que ser capaz de abrigar dois extremos: do necessário nosso de todo dia até o capricho de uma coleção de pequenos ou grandes afetos. Para muita gente, coleção e apErtamento são elementos que não cabem na mesma frase. Coleção em espaços pequenos quase sempre também querem dizer caixa, poeira e fundo do armário lá do alto. 

Quer saber? Talvez esteja na hora de deixar a sua coleção respirar. Sair da caixa, do plástico e ficar lá, sorrindo na parede pra você ver, curtir e se orgulhar todo santo dia.

Quer mimo maior para os olhos do que rodeá-los com os seus itens queridos? Aposto que sua casa está de braços abertos para abrigar e exibir com orgulho a sua coleção do coração, seja ela qual for.





Imagens >> Casa ChauchaHome Of MinePoppies at PlayPinterestHouzz.


E pra não perder o costume, claro, meu mandamento cumprido! E não tô falando de tintas, botões, linhas e pincéis. Essa é café com leite, pois é fruto de um hobby-trabalho (ou vice versa). Tô falando daquela coleção que é um fricote de capricho, sabe? Que você tem e acumula pelo simples prazer de... acumular. Ter e acumular. Ter, acumular e olhar. Pois é. 

1- Flipbooks

Ahh, os flipbooks...! Para quem não sabe, são esses livrinhos  que você folheia bem rápido e uma pequena cena se anima. Eu fico vidrada sempre que encontro um, mas é um tanto difícil de se achar nas lojas.  Quando encontro, não consigo: se vejo, levo. E lá estão eles na minha estante da sala, num jarro de vidro. 

2 - Garrafas Verdes

Azeites, cerveja, pimenta, vinhos... devo confessar: além do preço, claro, escolho todos os meus produtos de vidro do mercado pela garrafa - verde, no caso. Sou louca de pedra por elas, pronto falei. E sim, precisam ser verdes. A branca e a marrom não me interessam. Como se não bastasse a fixação pelas tais garrafas, a brita (ou sal grosso de vez em quando que faz bem rs) que eu coloco dentro delas deve fica no mesmo nível, não importa o tamanho de cada garrafa. Pois é, vai entender.


3- Meu amado Wally
Essa é a coleção capricho dos caprichos, pois ganhei toda ao mesmo tempo, de uma só vez. Não fiz nem o esforço de acumular, é mole? Sabendo que eu sou vidrada no Wally e que muito me arrependo de ter doado os meus 3 livros da coleção quando eu era adolescente - inconsequente - o Lê me presenteia com um carregamento de Wallys para colecionador nenhum botar defeito! Quer presente melhor que esse? Alegria da moça que vos escreve - e das visitas! :)



E você? Qual a sua coleção? Tem espaço pra ela na sua casinha? Taí uma coisa que eu tô curiosa pra saber. 

O chá de Panela da Fern

22/07/2012



Hoje eu vou me dar ao luxo de fazer um post de poucas palavras, posso? Prometo, no entanto, compensar com fotos - aliás, muitas. E não é por preguiça ou tampouco descaso. É pelo simples fato de que, depois de 2 anos, estou de férias. Mais tempo, mais céu aberto, mais passeio, mais projetos. 

E na primeira sexta-feira livre, São Pedro deu de presente esse dia aí do lado. Típico dia daquele que você olha de dentro do escritório e pensa: "Que que eu tô fazendo aqui dentro?". "O que aquela pessoa que malha às 3 da tarde faz da vida?". 








Pois é, agora que eu tô "do lado de cá" eu sei: muitos deles estão de férias. Simples assim. :)

E na minha primeira sexta-feira de sol eu fiz o quê? Eu fui pro SAARA! Mas calma, perdi um dia de praia por um motivo nobre: organizar a decor do chá de panela da minha amiga, a melhor das amigas, Fern(anda), que seria no dia seguinte.

As madrinhas dividiram as tarefas e - veja só, minha gente - eu fiquei com a parte da decor. E - veja só também - eu deixei pra última hora. Típico, mas compreensível. Deixei pra fazer com calma nas férias, vai.

Antes de partir paras as compras, carreguei meu pai comigo, porque pai é pra isso!:)  Fomos no delicioso Aconchego Carioca (conhece? Indico. Delicioso e inspirador. Essa foto aí é do banheiro. Imagina o resto! Bem, joga aí na internet rs) e depois partimos para o Saara.

Como o evento seria num restaurante, ou melhor, num quiosque da Lagoa, a decoração tinha que ser comedida. Não dava pra sair decorando o local que já é decorado e que não estava 100% fechado pra gente, né? O tema do chá? Festa Junina! Ou seja: a especialidade do Saara nesse período. Achei que fosse voltar cheia de bandeirinhas de festa junina, mas acabei encaficando com as... pipas! Sim, pipas. 25 delas, a R$9,90 o pacote. O meu pai: "Filha, pipas?". Pois é. Encafifei. Peguei 1 pacote de pipas e 1 pacote de bandeirinhas por R$2. Pelo preço, na dúvida, vai as duas.
Enfim, depois de espalhar as pipas no chão da sala e pensar no que fazer com elas, percebi que, apensar de coloridas, elas pediam uma certa dose de fofurice.  Juntas assim, puras, sem nada, pareciam show de abertura de jogos olímpicos! 
A saída foi se virar com o que já tinha em casa. E quem surge numa hora dessas, quem? A tinta em spray, linda ela:

Uma sacola de papel fez as vezes de stêncil, bastou recortar uma forma vazada de coração, aplicar uma camadinha fina de tinta em spray dourada no centro da pipa e.... voilá!
O véu da noiva custou R$3. Mas essa noiva em especial é mais do Rock do que da Valsa. Então, as flores saíram e deram lugar para tachinhas.
As convidadas ganharam chapéuzinhos de cangaceira. Um mimo que não custou mais que R$1,20 cada. O pacote com 5 chapéus (R$4,50) + arco de metal (R$0,40) + cola quente.
O local foi escolhido pela própria noiva: "O Ke Ka Baiana Tem" é o nome do quisoque da querida Keka. Quando chegamos ao local, apesar da reserva feita, ele estava tão cheio e concorrido que resolvemos fazer uma proposta "indecente" pra proprietária. O dia estava tão lindo, mas tão lindo, que pedimos para levantar acampamento do lado de fora mesmo, bem ao lado do quiosque.
Combinamos assim: nós faríamos a nossa bagunça aqui do lado de fora e eles nos serviriam os quitutes e bebidinhas do quisoque. Luxos esses que não se nega a um grupo de madrinhas e uma noivinha com véu na cabeça.  E assim montamos acampamento nessa tarde de sol abençoada:




A Noivinha mais feliz do mundo e a(s) amiga(s) coruja(s). Mudando de assunto: festa que é festa tem porque tem que ter canudo de guarda-chuva, ou sou só eu? rs
Um brinde à minha amada Fern e todas as amigas que fizeram esse dia inesquecível acontecer! Aquele que tem amigos verdadeiros realmente é uma pessoa rica. E com amigos como esses e uma cidade como essa, você há de concordar: não somos menos do que milionários. 

Se eu fosse rica

17/07/2012



Certo dia, um leitor deixou o seguinte comentário por essas bandas:
"Gostar dessa simplicidade toda quando se é pobre é fácil. Quero ver se você fosse rica se você ia achar esse lixo lindo. Ia comprar tudo do bom e do melhor".

Um tanto indigesto, vai... Pois foi o que cheguei a pensar por alguns segundos, enquanto bolava uma resposta. Em seguida, a avoada aqui já tava viajando em como seria a casa, na prática, se eu ficasse rica da noite pro dia. Sabe quando você era criança e brincava de "como seria se eu ganhasse na loteria"? Pois sim. Tapete de urso... lareira... escadaria... video-game gigante... bebedouro de Coca-Cola...  sofá que faz curva... um home theater de primeira.  E hoje? Ainda é isso? Passou longe, pelo menos pra mim. Engraçado como a "casa de loteria" da sua infância é bem diferente da de hoje, pensa só. Uma coisa é certa: o dinheiro traria mais conforto, mais espaço, mais amigos e mais cor. Afinal, rico que é rico não tem medo de colorir, penso eu. Se pinta hoje de azul, mês que vem pinta da próxima cor favorita. A gente que tem o dinheiro suado que tem esse medo do "e se eu enjoar?". Rico tem isso não. 

E falo mais: simplicidade e riqueza podem, sim, andar juntas, por quê não? Se eu fosse rica, rica de marré deci, minha casa ainda assim seria simples e colorida, com toda a certeza. A única coisa que eu não posso garantir é uma casa coesa. Afinal, depois de tanto tempo de dureza sonhando com os desejinhos decorativos, ia ser difícil não querer colocar todos em prática.

Confesso: correria sérios riscos de um deslumbramento do tudo-ao-mesmo-tempo-agora. A emergente e seus milhares de desejos decorativos adquiridos nessa internet, viu... Ryca então, ah, ninguém segura! Quer brincar comigo? Eu começo!

Se eu fosse rica eu teria...









Pronto cabei, agora é sua vez.

Se você fosse rico... :)

Eu gosto de gente onde há vagas.

15/07/2012



De todas as delícias de se ter um blog, a mais especial, de longe, é ter o privilégio de receber dezenas de fotos de lares, com suas histórias e seus afetos. Cada cantinho que recebo me faz ter mais certeza de que não estou sozinha nesse jeito de pensar. A nossa casa tá aí, pra ser morada e amada. Pra andar com a gente de mão dada e mudar junto também. Pra esses donos de casas com cara de seus donos e, por isso, com cara de casa de verdade, quero dedicar um texto. O mundo precisa de mais gente onde há vagas. Vaga pra criatividade, pra coragem, pra vontade de fazer acontecer. Felizmente, por aqui tá "assim" de gente cheia de vaga! E é aí que te pergunto: tem preço isso? Tem não. :)

Eu gosto de gente que se aluga, que se empresta, que se dá. Gente com dois quartos e despensa. Eu gosto de gente com vasinho de flores na janela. Gente que já vem com aquecedor e garantia. Eu gosto de gente ampla, gente arejada. Gente com mesa de jantar, gente que adora receber visita, gente com piscina e sala de jogos. Eu gosto de gente que não se importa com o barulho no final de semana e que não faz drama quando o elevador deixa de funcionar.Eu gosto de gente com livro de cabeceira. Gente com cortina de renda e porta- retrato na estante. Gente com banheira. Eu gosto de gente que não se importa com a conta de energia elétrica e tá sempre pronta para dar uma luz. Eu gosto de gente com varanda e vista para o mar. Gente que tá sempre querendo gente por perto. Eu gosto de gente com tapetinho de boas vindas e cheiro de lavanda. Gente que tem vaga na garagem e no coração. Eu gosto de gente grande. Gente pronta. Eu gosto de gente feita. Gente que quer ser de gente. Eu gosto de gente onde há vagas.


O texto é daqui. Infelizmente, não consegui confirmar sua autoria. 

Dedicatórias feitas, vamos ao que interessa.

Lembra do concurso para ganhar o adesivo "O Viajante"? As fotos abaixo são algumas das 27 que estão participando do concurso para levar a arte do Rafael Uzai pra casa. O desafio? mostrar um cantinho que combinasse em cheio com o adesivo. Teve gente que até já simulou onde ele poderia morar, é mole ou quer mais? 

Bom, agora é com você. Marmelada-free, não tem segredo: você curte os cantinhos que mais gostar e a foto mais curtida até o dia 20/07 (16h) garante o adesivo, combinado?

Para ver todas as fotos e votar na sua favorita, clique aqui.







Plano B

08/07/2012




A ideia era fazer uma lojinha... produzir alguns projetinhos e vendê-los! Mas a vida, que sempre esteve corrida, não deu brecha para essa produção. O trabalho tá puxado - pra quem não sabe, além do blog e do Decora, sim, existe um trabalho "normal", daqueles de todo dia, de 10 às 19h :). Mistura isso tudo com um período de quase 3 anos sem férias. Cansaço, correria, cansaço, alegria. 

E por quê eu tô contando isso? Pra falar que esse eventinho feliz que aconteceu ontem e que encheu meu coração de felicidade surgiu, na verdade, a partir de um Plano B. Quando faltava 1 semana pro evento e caiu a ficha de que não havia NA-DA produzido pensei: "não dá, vou cancelar". Mas a minha confirmação já tinha sido feita pros organizadores. Feio demais dar pra trás em cima da hora, né? E aí, como faz? Pensa... pensa.... taí! "Não vende, não sai por aí produzindo feito uma louca, ensina a fazer, oras!".

"Nesse sábado de sol, não quero estresse, não quero trabalheira. Quero me divertir. Não vou fazer uma feira, vou fazer uma farra." E assim foi o meu Plano B. :)
Depois de 1 ano e meio de blog e 1 temporada de Decora, a cômoda de materiais aqui de casa transbordava de tintas, pinceis e papéis que sobraram e só aguardavam sua vez de serem usados. Soma isso tudo com os cortes de tecidos lindos que a La Estampa e a Panólatras enviaram de presente pra mim e eu ainda não havia utilizado. Ficava aqui dobrando e desdobrando os meus retalhos, só pensando o que fazer com eles. Meio freak essa coisa de dobrar e desdobrar retalhos, enfim, humm, adoro.

Na sexta, enquanto eu passei o dia no trabalho, o Lê (o que seria de mim sem ele?) aproveitou a folga e saiu para comprar os ingredientes pros brigadeiros, imprimir os cartões e buscar o enchimento das almofadas. No sábado de manhã, demos uma fugida no Saara pra comprar o que faltava e pronto! Partimos pro evento. 

O resultado? Um sábado delicinha, cheio de carinho e diversão. Saí de alma lavada e coração cheio. Obrigada a todos que compareceram, a companhia de cada um foi maravilhosa.




Tecidos lindinhos do Panólatras. "Vou ensinar a fazer, mas não vou ensinar a criar". Recado dado, cada um foi escolher a sua combinação de cores favorita.


Meu pai ajudou até a botar os brigadeiros pra circular.


Algumas sortudas têm aquele tipo de namorado que vai junto pra feirinha fazer artesanato num sábado de sol, sabe? Tem uns que até participam. Nós merecemos homens assim, vai. 


Pra pintar com tinta em spray, a saída é ir pro cantinho pra não sufocar e tingir os coleguinhas.






A "turma"orgulhosa, mostrando a cria. "Não quero ver nenhum igual ao outro, hein". Sou braba, vai vendo...


A etiquetinha da vitória rs.


A turma das almofadas pulou o nível 1, 2 e 3 do módulo e partiu pro módulo Ninja-Marta-Stewart: aplicar as bolinhas nas laterais da almofada. 


Um erro de digitação me fez adotar uma nova palavra: se me permite, essas ficaram almofOdas. rs



Estampa florida maravilhosa da La Estampa. :)



Almofadas lindas e as artistas orgulhosas. 


Vai ter Santo Antônio de casa nova nesse domingo, é o que tô achando... :)



E assim foi o nosso encontrinho que, pra mim, vai ficar na memória e no coração. Eu só tenho a agradecer pelo carinho e dedicação de todos que compareceram com um sorriso no rosto e uma energia de contagiar. Essa troca não teve preço. 


O Album completo tá lá na nossa página do Facebook (Já curte? Vem por aqui.)
 COM GOSTINHO DE QUERO MAIS 



Encontrinho!

05/07/2012



Amigos que não são do ridijanêro, já tô preparada para os comentários, viu? Mas a vida é corrida e a grana é curta! Por isso, vou cometer a indelicadeza, mais uma vez, de fazer um convite pros cariocas.

Nesse sábado agora (07/07), vou participar de um eventinho pra lá de charmoso em uma vila do Jardim Botânico. Alguns amigos estilistas e artesãos estarão por lá vendendo as suas criações.

Dessa vez, eu não quero vender é nada! Eu quero me divertir nesse sábado de sol (ouviu né, São Pedro?), beber caipirinhas, jogar conversa fora e.... ensinar!

Quem quiser chegar por lá, eu vou estar com um cantinhozinho fazendo oficinas. Vamos aprender a fazer:
- Os cestos guarda-tralha de carpete
- Almofadas sem costura
- Moldurinhas coloridas com posters exclusivos
- Oratórios

Como nunca fiz isso antes, as vagas são limitadas e por ordem de chegada. Para que eu possa fazer junto com vocês, a cada 1:30h terá um projeto novo. É só ir chegando e colocando seu nome da lista.

A Oficina tem custo? Tem e não tem. Não vou cobrar pela aula, mas preciso cobrar pelo Kit de Materiais. O custo vai ser entre R$20 e R$35, dependendo do projeto. Depois de pronto, é claro que cada um levará a su cria pra casa! Por favor, levem em dinheiro, ok? Prometo que vou arrumar um cantinho aconchegante pra gente passar o sábado criando e se divertindo!

Até lá,

com carinho,
Tha :)


Cabeceira Pintada: stencil com renda

04/07/2012




SHIFT+Clique
Camas box: tremei! Cês tão aí quietinhas, todas trabalhadas na comodidade, achando que vão ficar aí esquecidas e sem uma intervenção? Pois eu tô aqui só plantando a sementinha na cabeça dos donos de vocês.

Depois de mostrar a cabeceira acolchoada mais fácil de fazer das redondezas, venho, por meio desta, dividir outra técnica que vai deixar os dedinhos coçando aí do outro lado da tela.

Você vai precisar de um tecido rendado de qualquer cor, alguns jornais, fita adesiva e tinta. O Resultado? Bom, dá uma olhada nas fotos e me diz você.




Dá licença? Posso me intrometer? Percebeu que a tinta vai passar pela renda como se ela fosse um stencil? Pois é! Eu já tentei algo parecido em casa e tenho algumas dicas de amiga-irmã-camarada pra você:
1- Estique muito bem a renda e deixe-a bem coladinha na parede. O mesmo vale para o jornal.
2- Rendas com tramas mais abertas garantem um desenho mais definido.
4- Se você for usar tinta em spray, cuidado, pelo amorrrrrr, com a sujeira e com a nuvem de tinta no entorno do jornal. Proteja  o chão e a parede 3x mais.
5- Se você for usar tinta e pincel, prefira uma brocha e aplique a tinta dando batidinhas com o pincel, tomando cuidado para não tirar a renda do lugar. Use uma tinta acrílica à base d'água e dê uma diluída de leve para que ela fique mais fluida e ultrapasse a renda.
6- Deixe secar por umas 2, 3 horas e retire a renda e o jornal com cuidado.
7- Ah, claro! E aproveite a renda que foi pintada para fazer uma capa de almofada... forrar a cúpula de um abajur... enquadrar numa moldurinha... ou seja: aproveite! :)



Ideia, projeto e inspiração: Tea Cup Vintage