Pacote Básico. E Pacote Vida.

20/01/2011



"Quando era meia noite, no último 31 de dezembro, essas pessoas estavam se rodeando de boas energias, brindando ao otimismo e desejando o melhor que a vida pudesse trazer para 2011. Pediam o tal do pacote básico: um emprego melhor, uma casa maior, perder alguns quilos, fazer uma viagem...

E agora? Qual a noção de "pacote básico" dessas pessoas? Em 15 dias, essa noção pode mudar muito né? Porque aposto que pouquíssimas pessoas que perderam tudo nas enchentes que desolaram a Região Serrana do Rio desejaram esse nível de básico para 2011: "Quero um teto. Quero voltar a ter um lar. Quero uma cama. Talvez até edredon.". Isso agora é que é o Pacote Básico dessas pessoas."

Fiquei pensando nisso nessas últimas 2 semanas de machetes, estatísticas, despedidas, doações e dúvidas.... Loucura? Sei lá...

Todo mundo ajudou um pouco ou como pôde, assim espero, né? O governo, autoridades e empresas privadas vão garantir o Pacote Básico, certo? Ceeeerto? Ótimo. Que devolvam o teto dessas pessoas, e em tempo recorde, por gentileza. Mas eu acho que dá pra fazer mais. Vamos pensar, em paralelo, no Pacote Vida?

Ele nada mais é do que, além dos elementos do Básico, um pacote superior que contempla também: esperança, sorrisos, otimismo, autoestima, energia e noites bem dormidas. E esse pacote é mais difícil de se devolver para essas pessoas. Porque, diferente do Pacote Básico, o tal do Pacote Vida não envolve bilhões de reais, acordos políticos ou grandes formalizações. É mais complicado por 2 principais motivos: requer atenção e sensibilidade. E isso, o governo tem "dificuldades" em oferecer.

Então tá na nossa mão, né? E eu tive uma idéia pequena e talvez até tola. Mas uma idéia. Nesse momento de reconquista do Pacote Básico, essas pessoas querem um TETO, COMIDA, SOBREVIVER.  Pensam que perderam tudo.
E se, nesse momento, milhares de móveis e objetivos com potencial de ressucitação estão sendo retirados por escavadeiras, triturados e jogados num espaço adaptado para os "restos"? Quanta coisa perdida! A lama destruiu muita coisa, mas e o que dá pra salvar com água, sabão, lixa e tinta? Será que existe? O que alguns enxergam como restos de uma catástrofe, outros enxergam como lembranças do que um dia foi um lar. E mesmo que não exista nada para recuperar, e os móveis antigos das casas das pessoas que não foram atingidas? Todo mundo tem uma tranqueira né? Que tal doá-los?

Não seria ótimo se, quando essas pessoas voltassem para um teto, elas pudessem também voltar para um lar? Para um pouco de conforto, de cor, de humor? E se a gente fosse em busca de tudo o que pode ser reaproveitado, colocar num galpão e unir forças para restaurar esses móveis e objetivos para trazê-los de volta à vida? Vivo dizendo que quase tudo nessa vida se resolve com tinta em spray e ninguém acredita... rs.

Não é a hora exata pra pensar nisso? Enquanto os peixes grandes se preocupam com o macro, a gente age pontualmente, em cada sorriso. E, sei lá, daqui a 3 meses, quando os tetos estiverem sendo devolvidos para as pessoas, a gente tenha um galpão repleto e colorido para devolver um pouco do significado de lar para essas pessoas, em forma de móveis e objetos ressucitados.

Quem tá dentro? Quem compra essa idéia comigo? E quem conhece alguém, que conhece alguém, que conhecem alguém que nos ajude a comprar essa idéia? Divulguem, compartilhem e vamos fazer isso acontecer!

Pra quem quiser trocar uma idéia: thalitamagalhaes@gmail.com

21 comentários:

  1. Anônimo20.1.11

    OI Thalita,
    sou leitora assídua do blog!
    Adoro suas ideias.. qdo eu puder executar te mando foto.

    Só queria dizer q achei sua ideia magnifica e sinceramente acho q dá muito mais resultado do que essas mega operaçoes governamentais q envolvem trocentas pessoas e, será?, que aquela familia q tá morando na garagem de num sei quem vai realmente receber algo?

    Uma ação dessas envolve o povo que tá esperando ajuda, gera renda, reconstroi, reaproveita, otimiza tempo e material, para não falar na geraçao de esperança, na reconstruçao da dignidade e do sonho, no reaproveitamento das memórias e na otimização da vida.

    Pena que moro longe... senão entraria no grupo pra discutir mais e por a mão na massa.

    Que Deus conserve sua luz!

    Beijos,

    Giselle Dutra
    prof.gisellecristina@gmail.com
    Cariacica/ES

    ResponderExcluir
  2. Anônimo20.1.11

    Tati, tinha pensado em montar um grupo de engenheiros, arquitetos, estagiários e pessoas de boa vontade para dar um help quando as coisas começarem a "voltar" um pouco pro normal. Até pq agora a necessidade é a básica, a de uma comida, um teto (não diria nem um lar em si), um abrigo, mas principalmente um sorriso. Sei que você é uma pessoa iluminada. Agora precisamos de um "sol" para brilhar em cada coração e sonho destruído.
    O Rafael Guarilha está fazendo um trabalho lindo de ajuda a essas pessoas. Dá uma força aí no blog http://www.facebook.com/?ref=logo#!/salveaserra
    Mas quando esse seu e nosso sonho for possível, CONTA COMIGO !!!

    Bjão,
    Carol.

    ResponderExcluir
  3. OI Thalita, acompanho seu blog de longe, adoro suas ideia super criativas e seu capricho com as coisas! Otima ideia, se mais pessoas se juntarem vai fazer uma grande diferença! parabens pela ideia!
    Quando vi pela internet a reportagem dos sobreviventes, partiu meu coracao. Gostaria de pode ajudar de alguma forma, mas estou morando na HOlanda e nao consegui pensar em nada. Vou passar sua ideia para frente! O que também chamou minha atençao no seu post foi a foto! Recentemente estive em Londres e "conheci" Banksy, o autor dessa grafite. O cara é demais, veja no google os trabalhos dele. Ele faz vários grafites super perfeito e com efeito político. Tem tudo a ver com seu post!

    ResponderExcluir
  4. A sua idéia é ótima, seria super legal poder trazer um pouco de felicidade para essas familias...A idéia da Carol no comentário também é bacana. Quando for arquiteta, sei que Deus quer, pretendo desenvolver projetos sustentáveis de baixo custo para ajudar familias carentes, não quero ser um arquiteta que só sabe projetar mansões, quero projetar lares.
    Pena que moro no interior de Minas e não poderia participar dessa idéia.
    Sabe o que acredito que seria interessante, mobilizar essas grandes empresas, Leroy merlin, Coral,L&c entre outras para fazer doações de materiais, tintas, madeiras para ajudar nas restaurações dos móveis danificados e a criação de novos.

    Beijos

    Edilaini

    ResponderExcluir
  5. Entendo a sua idéia, mas a água e a lama destruíram tudo. Acho que são materiais irrecuperáveis e a logística pra transportar, cavar, escavar e carregar seria imensa. Por outro lado, todo mundo tem um móvel que poderia doar, algo que não é tão importante ou que pode ajudar a refazer a vida de alguém. Se cada um puder "adotar" uma família, todos lá ganhariam. Se, de toda forma, você decidir realizar um mutirão, conte comigo. Tô aqui no Rio e sou desajeitada, mas sou caprichosa e obedeço bem a comandos simples ou complexos. Hehehe...

    Conte comigo.

    Beijos e parabéns por se indignar.

    ResponderExcluir
  6. Vc sabe que to dentro dessa ideia né.. sabe que topo qualquer "parada" entao vamos agitar e fazer isso acontecer flor!!! bjs porq eu bem sei q quem perde uma casa nao pode esperar!!! e alem do mais vamos la dar amor carinho atenção...bjs

    ResponderExcluir
  7. Anônimo21.1.11

    oi Thalita, acho a sua ideia muito diferente e especial, porém, posso te dizer com certeza que as coisas que sobraram são irrecuperáveis. Veja bem, carros viraram bolinhas de papel! Imagine os móveis! Aqui em casa já sofri com enchente, não perdi nada, mas só pelo fato de alguns móveis terem molhado (com água de esgoto!) já foi difícil recuperar, principalmente móveis de aglomerado, que parecem papéis e não resistem a água... imagine uma tromba d'água. A força da água é muito violenta e acho difícil ter sobrado alguma coisa pra aproveitar. Se só tivesse molhado, acho que seria possível recuperar muita coisa... mas do jeito que está, não.
    De qualquer forma, a sua ideia pode gerar outras boas ações também, né? Bjs
    Priscila

    ResponderExcluir
  8. Oi Thalita!

    Achei muito boa a sua idéia mas, como algumas pessoas já falaram aqui, acho que não restou muita coisa...fora que nesses lugares que foram devastados, ainda há muita lama...Lama misturada com tudo, esgoto e infelizmente até corpos e animais agora já em estado avançado de decomposição. Acho que não daria para reutilizar até mesmo por questões de doenças, né.

    Mas acho super válida a idéia de fazer uma campanha de doação de móveis usados e até mesmo velhos (pq dá para recuperar).

    Sou de Teresópolis, se precisar de alguma coisa é só me chamar!

    beijos

    ResponderExcluir
  9. roberto vilhena - rio de janeiro21.1.11

    Achei uma idéia extremamente sensível. Eu não saberia como ajudar operacionalmente a montar seu projeto, pois, não tenho habilidades do gênero carpintaria avançada. Mas, me interessaria muito pensar conceitualmente em objetos que poderiam fazer parte do dia-a-dia de quem perdeu tudo. Objetos que ajudassem a inspirar esse resgate de auto-estima a que você se refere. Objetos divertidos, que colocassem as pessoas pra cima.
    Se precisar de mais idéias, pode contar comigo.

    Roberto Vilhena - Rio de Janeiro

    ResponderExcluir
  10. curto MUITO a idéia!!!!
    sou do rio tbm, posso ajudar sério, meu email tá aqui
    lucasmagnofernandes@gmail.com

    :)

    ResponderExcluir
  11. Thalita, to dentro. Meu e-mail é m.ayala@globo.com Tb sou do rio e topo ajudar de qq jeito.

    ResponderExcluir
  12. Erica Lobão23.1.11

    Olá! To sempre aqui acompanhando seu blog e como muitas outras, achei esta ideia excelente.
    Às vezes a gente pensa na vida de forma tão cartesiana que se surpreende quando alguém se preocupa com as coisas por este ângulo que você colocou.
    Enfim, assim como outros acima não acredito que tenha restado muita coisa de móveis, mas acredito na boa vontade de muita gente.
    Poeríamos fazer uma campanha pra arrecadar móveis usados e nesta onda de solidariedade não seria difícil conseguir transportar.
    Tô dentro! Meu e-mail é erica-lobao@hotmail.com, meu skype: ericalobao.
    Vi pessoas em minha volta doando toneladas, e dentro das minhas possibilidades financeiras,achei minha doação ínfima, mas sua ideia acendeu minha vontade de ajudar mais!

    Conte comigo!
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Eu estou bem longe para colocar a mão na massa, mas posso ajudar na divulgação entre os amigos blogueiros, a repercutir o assunto e no que for possível ajudar de longe. Dou a maior força! Meu e-mail vc tem :)

    ResponderExcluir
  14. Ao ler seu post lembrei de minha irmã que quando foi conhecer o Rio, voltou falando que o falta nas favelas é uma mão de tinta colorida......rsrs Que com o colorido todos ficariam mais felizes. Mas quanto a sua idéia acho muito legal, que as pessoas se mobilizem e derrepente doem aquel colchão que não usa ou a mesa que tá trancando canto na garagem e aí sim fazer o restauro destes móveis para alegrar estas casa. Isso acredito seria uma idéia possível. O que você acha???
    Tenha uma ótima semana
    Abraços
    http://euseivoucontar.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Olá Moça esperta! Quantos comentários legais!
    E quantas ideias para serem colocadas em prática! Eu adoro o seu blog. Está nos meus favoritos desde que conheci e li todos os posts, (e reli tantos outros).
    Eu acabei de me mudar, sem nem um prato, então doação = xi, complicou. Tudo que coloquei dentro de casa também foi assim, doado (tio, pai, mae, vo, papagaio, periquito, sabe como é).
    Mas se precisar de mão de obra para fazer recuperação dos móveis, estou dentro. Eu não sou arquiteta, nem engenheira, mas tenho muito boa vontade e adoro esses trabalhos. Topo ir pro galpão e colorir tudo! Trocar ideias e criar coisas originais, divertidas. Levar sorrisos de volta para a vida das pessoas. Ideia comprada. Quando a gente coloca a mão na massa? :) Anota aí: lyanaferraz@gmail.com (quase do RJ - do outro lado da poça.

    ResponderExcluir
  16. Oi Thalita!
    Acompanho seu blog desde o inicio, confesso que foi um dos blogs que mais me inspirou a criar o meu também!
    Compartilho com o mesmo sentimento e compro sua idéia!
    Meu e-mail é: marcelli_maia@hotmail.com

    http://dcorando.blogspot.com/

    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Thalita,
    Como anda esse projeto??? Posso ajudar??? Gostaria muito. Embora não se divulgue quase mais nada, eles ainda precisam de nossa ajuda.
    Bjs,
    m_basilio@hotmail.com

    ResponderExcluir
  18. vilmara salgado13.1.12

    Olá, thalita
    Fiquei encantada com o site.
    To indo p uma casa nova e to decidida a reaproveitar dando uma repaginada, é claro, nas
    coisinhas- trecos- que eu insisto em guarda-las e que minha mãe e meu namorado chamavam de tralhas e não entendiam p q de eu guarda tanto...então com as ideias vistas aqui eles saberão o p q rsrsrsr...
    bjs

    ResponderExcluir
  19. Vc é um espírito iluminado que veio para a Terra inspirar as pessoas com arte, amor e poesia.Parabéns 

    ResponderExcluir
  20. Oi Thalita, 
    Vc é um espírito iluminado que está na Terra para irradiar arte, consciência, amor e poesia para as pessoas.Obrigada por espalhar seu carinho por aí.Bjs

    ResponderExcluir